Another step bites the dust

(O que é que análises ao sangue, um electrocardiograma, uma ecocardiografia e um Raio-X têm em comum?)

Aí está o pontapé de saída para a nova fase da minha vida.

Não, esta não é a hora a que me vou deitar, é mesmo a hora a que acordei - completamente desperto -, vá-se lá saber porquê.

Está a tornar-se o péssimo hábito...

Congrats


Queria deixar aqui os meus parabéns ao Frederico Gil pela réplica que deu ao nº1 mundial de ténis.

Perdeu por 7-5 e 6-3 na terceira ronda do Open de Miami mas mais que isso foi a oportunidade de ver um português num torneio internacional e por sinal um dos Masters Series, algo nunca visto.

Não só não foi humilhado como seria de esperar pelos respectivos rankings e estatutos, como jogou muito bem e com jogadas a reter.
Conseguiu quebrar o serviço do Nadal por 2 vezes, uma em cada set, em que no segundo lhe permitiu liderar por 2-0.
As capacidades (sobre-humanas) e a qualidade do espanhol fizeram o resto.

Esperemos que não se fique por aqui...

SLB preocupa-se!


O Benfica chegou a acordo com o grupo HPP com vista a garantir determinados descontos no Hospital dos Lusíadas para além da "suite Benfica", bem abimbalhada (decorada) com imagens de jogadores e com referências aos títulos ganhos pelo clube, na qual já está incluído o mais recente troféu, a Taça da Liga.
No que toca aos títulos está bem visto. Nunca os sócios estarão a sós pois estarão sempre acompanhados pelas memórias.
Mas também pode ser deprimente...
Deprimente pode também ser acordar a meio da noite e dar de caras com o Nuno Gomes. Recordar os falhanços deste não será o melhor para quem o vislumbre. Ou ter que levar o dia todo com o Bynia...

Ainda não se sabe muito acerca dos descontos, mas muito se fala na hipótese de o jornal "O Benfica" e a revista "Mística" serem comercializados no quiosque do hospital a preços inferiores, mediante a apresentação do papel das consultas. E tido como certo é o desconto nos electrocardiogramas.

Existe ainda a cláusula no contrato que não prevê descontos nos dias de jogos nem nas 24h seguintes aos mesmos, a não ser que o motivo para recorrer aos serviços hospitalares sejam contemplados com a acção culposa do senhor árbitro e acompanhada pelas imagens televisivas que a comprovem.

Certo certo é a ausência da foto do Quique Flores na decoração do quarto.
Não por motivos de futura rescisão mas por causa do bronzeado. O quarto de recobro quer-se bem claro para uma melhor recuperação. Quanto mais escuro, mais deprimente e claustrofóbico...

Luis Filipe Vieira falou para os presentes afirmando que "esta é a melhor e mais avançada suite hospitalar do mundo e a mais bonita" e que espera que "os maiores sócios do mundo corram em massa aos serviços hospitalares" finalizando acreditar que "isto cale os papagaios de vez!"

Já estava na altura de começarem a cuidar dos desgraçados sócios, que tanto sofrem pelo glorioso. Excelente medida!

Benfica! Benfica! Benfica!

PS: Aquele azul na parede é que não dá com nada...

Caso(s) I.Morais

And now for something completely usual...

O principal arguido do "Caso Isaltino" Isaltino Morais admitiu ter fugido ao fisco na década de 90 mas alegando que este acto era seguido por qualquer cidadão com mais de 50 anos e achando (penso eu) isso algo normal.

Está tudo dito.
Desculpe o incómodo. Pode ir para casa descansado.

Porque já nada me choca...

O que torna possivel um médico, acusado - com confissão do próprio ("arrependido e envergonhado") - de abusos sexuais a 2 crianças (9 e 13 anos), continuar a exercer a sua função?
Uma vez mais... A complacência nojenta e a ordinarice moral de certos indivíduos e - apesar de não entender - os estatutos existentes. Para além de um desfazamento total de tudo o que é decente...

Os detalhes sórdidos ficam para quem os quiser pesquisar, mas fica a sentença dada a semana passada por um tribunal dos Açores (efectivamente por um juiz - supostamente um ser humano...).
O médico foi (somente e incrivelmente) condenado a 4 anos de pena suspensa pois havia circunstâncias que apontavam para que "a sua actuação tenha sido um acidente de vida, permitindo concluir que a simples censura do facto e a ameaça de prisão realizam de forma adequada as finalidades da punição".
Permitam-me: FODA-SE!!
Mas isto é o quê? É como dizermos aos miudos que se se portam mal chamamos o senhor polícia??

Mas esta gente anda a brincar?

O tribunal faz também a referência a "não se ter apurado especiais sequelas dos crimes para os menores", decidindo ainda excluir da sentença, como pena acessória, a inibição da prática de medicina ou o seu exercício no SNS.
Sem comentários...

Sempre tive para mim que a Ordem dos Médicos tinha poder para impedir o exercício da profissão. Total ignorância minha.
Para tal é necessário a ordem de um juiz... Ou a mudança dos estatutos disciplinares do sector.

Seja o que for que necessite ser feito a verdade é só uma, estamos instalados num regime onde a vergonha vive encantada da vida.

Definitivamente já nada me choca.

Preocupem-se com o provedor de justiça e não se preocupem com a justiça em si que estão no bom caminho...

Mais um encalhanço...

Para terminar a noite, aí fica mais uma em que encalhei hoje.
Já faz demasiado tempo que não ouvia isto.

É engraçado quando nos apanham de surpresa. Há a tendência para as pessoas à nossa volta acharem que algo se passa na nossa cabeça, que andamos a roçar a demência quando do (aparente) nada largamos um daqueles sorrisos nostálgicos (If you know what I'm talking about)...

Ainda a taça... Com certeza

O árbitro auxiliar responsável por ter confirmado a grande penalidade ao seu "chefe" teve a oportunidade, também ele, de dar a sua versão dos factos.
Afirmou o senhor que se fosse hoje (no dia da entrevista) decidiria da mesma forma.

Interessante foi a resposta à pergunta do jornalista quando lhe perguntou se tinha a certeza do que viu: "Aquela certeza de 300% não tive."

300%??

Mas tiveste a 250%, por exemplo?
É que sempre continua a ser (bem) melhor que os 100%...

Contentor?

Na semana passada vi no programa "A torto e a direito" (sim, da TVI24...), os intervenientes a comentarem acerca dos miudos ciganos terem aulas à parte dos restantes alunos num contentor.

Fiquei chocado! Bom, chocado não é bem o termo. Fiquei mesmo foi curioso. Caramba! Num contentor?! Mas um contentor daqueles de metal, enormes, completamente fechados?

Com o desenrolar da conversa, sustentada pela reportagem que deram fui-me apercebendo que talvez não fosse assim tão mau. Se o motivo pela qual estavam a ser positivamente discriminados é por não estarem ao nivel dos outros, não só não seria mau como seria bom. Muito bom!
É que assim não se distraem com o que se passa na rua. Faça chuva ou faça sol. É da maneira que estão concentrados na matéria dada, de forma a recuperarem caminho.
Lá fui à procura do famoso contentor...

Até que dei com o dito.
Contentor? Qual contentor?? (Pensei)
Aquilo tem janelas! Tem... Ar condicionado!

Quem me dera!
Quantas vezes tive eu aulas num barracão daqueles pré-fabricados... Com um calor brutal. Tinha sempre aulas à hora em que o sol batia directamente nas únicas janelas existentes (só as havia de um lado...).
E o "ar condicionado" era a porta aberta...

Quanto à questão da "discriminação positiva", é ridículo pensar que estes miudos estão a ter aulas à parte por não estarem ao nivel dos outros alunos. É que assim sendo cai por terra a questão de muitos miudos que deviam estar no ensino especial e não estão... E mais não me alongo porque só viria estupidez daqui.
Se é por uma questão de cultura, enfim... É o Portugal governado por gente pequenina e com falta de coragem e também não vale a pena ir por aí que a estupidez seria ainda maior.
Se bem que tenho que começar a tratar os bois pelos nomes... A seu tempo. Quando me ajeitar com estas lides.

Os motivos para isto acontecer estão mais que identificados. Não tenho dúvidas disso. Pena que em nome de determinadas coisas, se "abandonem" as crianças...
Sim, porque não é só ir "buscá-las" de volta à escola. Mais que isso é a imposição que se deve exercer.
Estamos num estado de direito, logo têm que cumprir como todos os outros. Só resta saber se o querem...

Dance Sessions

Já não se fazem festas como os Deep Dish faziam.

Basta umas batidas (bem fortes) e o povo fica contente. Ai, ai...

Come back old folks!

Finalizando...

É com isto que estes gajos ainda perdem tempo...



Só faltava mesmo esta...
Não têm mais nada para dar?
Já passou uma semana. Já cansa, não?

Agora sim, good weekend.

Lamechice a estas horas?

A Fine Frenzy "Whisper"

Não, acho que não. "Descobri" ontem - apesar de ser de 2007... - e agradou-me.

É... Agradável. Ouve-se bem...

Bom fim-de-semana, que amanhã não passo por cá.

161

«Corria o boato que tinha abandonado poder e fortuna na sua pátria longínqua (...)»

Haja esperança...

Na semana semana passada, já não me lembro porquê, questionei a colegas de diferentes estatutos a horas diferentes "porque é que com esta história da crise, as pessoas com os maiores salários não os reduzem, começando no director, passando pelo sub-director e pelo chefe e por aí fora na restante empresa e Grupo? Para poder salvaguardar, ou melhor, salvar determinados empregos de trabalhadores de rendimento mais baixo."
Foi interessante ver que pessoas completamente diferentes e sem terem ouvido quando perguntei às outras, terem reagido da mesma forma, com aquela expressão de olhos muito abertos e com a cara meio de lado como quem diz "Eh pá!, nem entres por aí. Isso é muito complicado, já sabes como as coisas são..."

Isto porque se diz (e se confirma) que agora não passam mais trabalhadores a regime de efectividade, porque o "Patrão pode querer vender e para quem comprar é melhor não ter tantos efectivos". Ou seja, chega-se ao fim do contrato e...

Pois nem por acaso, ao ler o "Expresso" ontem (é o que dá desperdiçar o tempo que tenho a escrever posts, por exemplo...) deparei-me com o Editorial e passo a transcrever:

«Ter emprego sempre foi um bem precioso. Porém, nos dias que correm, o seu valor é quase inestimável. Toda a gente sabe que o desemprego se afigura como a principal ameaça da actual crise; especialistas — e não particularmente pessimistas — estimam que ainda antes do fim deste ano a taxa de desemprego chegará aos 10%. Perante esta realidade, diversas medidas podem ser tomadas. Habitualmente, em Portugal, pensa-se que essas medidas apenas cabem ao Estado, ou ao Governo. Mas tal não é verdade: todos nós podemos contribuir para a manutenção do emprego e das empresas, num quadro de reforço da solidariedade e da exigência, o que naturalmente acarreta sacrifícios partilhados. Foi o caminho que seguiu o Grupo Impresa e o Expresso em particular. Em editoriais, raramente falamos de nós próprios, mas há momentos excepcionais, como este, em que nos orgulhamos de ter sido exemplares. No grupo de comunicação social — o único grupo português exclusivamente de comunicação social — que detém a propriedade deste jornal, todos os administradores cortaram 10% ou mais nos seus salários (e abdicaram de bónus). Mais: todos os directores deste jornal fizeram voluntariamente o mesmo e foram seguidos pelos redactores com melhores salários. 0 Conselho de Redacção do Expresso (orgão eleito por todos os jornalistas) apoiou outras formas de poupança que implicam a suspensão de retribuições extraordinárias. Como recompensa apenas querem passar esta crise em equipa, evitando despedimentos, e permitir o regresso da empresa aos lucros. De forma a manter o seu bem comum mais precioso: a total indepêndencia editorial do nosso Expresso.»

Nem mais!

Não estou com isto a querer dizer que descobri a pólvora ou que sou o Maior! Quem me conhece sabe que estou bem longe de me considerar um ser inteligente. Mas se eu consigo chegar a essas questões, sem sequer ter queda para economista, porque não chegam lá os outros?

Será impossivel mudar essa mentalidade?

Pergunto e respondo: É! É triste mas infelizmente é o que sinto. As pessoas são demasiado "cegas" e egoístas.
E infelizmente a parte do "o que naturalmente acarreta sacrifícios partilhados" serviu para me fazer rir (ironicamente, claro).
Vendo o que vejo todos os dias, a falta de coragem para se dizer e apontar o dedo a determinadas coisas fazem-me sentir que será sempre mais fácil continuarem tranquilos no seu estatuto e os outros que se lixem porque "ninguém tem culpa da crise".

Pois não. Ninguém tem culpa. Muito menos os mais "pequenos" que vos fizeram chegar onde chegaram...

E não acredito também porque neste tempo - principalmente neste tempo - em que estamos, em vez de instaurarem a calma e o diálogo, fazem precisamente o contrário aumentando a intensidade deste nevoeiro de dúvidas e deixando no ar os (fantásticos) enigmas da crise.

Resta esperar que pessoas supostamente mais inteligentes e capazes tenham ainda uma réstia de "coração" e muita cabeça e cheguem onde poucos conseguem chegar...

Ora embrulhem (tomem) lá esta!

O meu chefe (fez 1 ano há pouco que entrou) tinha umas quantas expressões, digamos... Idiossincrásicas.

A primeira com que "apareceu", ou melhor, que se fez notar (porque foram todas ao mesmo tempo) foi uma forma de reagir a algo que o apanhasse de surpresa assim que a vislumbrasse. Era algo do género: «Eehhh! Isso é muito!». Este "muito" era algo acentuado. O "Eh" era parecido com o Helloooo! do Seinfeld (peço desculpa a quem não sabe do que se trata mas é a única forma que encontrei de explicar - há sempre o Youtube para elucidar...).

O que se passou foi que o meu chefe deixou de a aplicar quando eu num acto de estupidez instintiva - e não de coragem ou chico-espertismo - fiz o mesmo à frente dele. Eu costumava imitá-lo (e infelizmente) bem mas sempre longe da vista e audição dele. Tornou-se tão habitual em mim que nem dei por ele quando o fiz. E o pior é que tinha um colega bem à minha frente que estava de costas para ele e se riu a bom rir (mas disfarçado) para mim. E eu completamente encavacado ao reparar na presença do boss. Não me disse nada. Acho que ficou mais envergonhado que eu.
Desde aí, como que por magia, deixou de ter aquela reacção.

Outra que o meu chefe tinha - esta mais pancada que outra coisa - era passar pelas pessoas e perguntar-lhes algo como "Diga, diga?" sem que a pessoa tivesse sequer falado ou reagido à sua presença.
O mesmo colega contou-me isso e não acreditei.
O meu chefe deixou de o fazer a partir do momento em que o fez a esse colega à minha frente.
Em mais um acto de estupidez parti-me a rir. Foi de sem querer (juro!).
Sem consequências, aparentemente, até hoje.

A última de que abdicou foi de chamar "ponta-de-lança" a pessoas de determinada faixa etária. Porquê? Ora como é óbvio, começámos a utilizar essa expressão uns para os outros...

E porquê este engonha? É para chegar ao título.

Desde o início que tem uma expressão que passou despercebida por causa das anteriores.

Parece que não consta da linguagem dele mais nenhum verbo para além do "Embrulhar".
E passo a explicar, exemplificando com frases e traduzindo-as, entre parênteses, através do Dicionário Chefe-Português.

- "Embrulha-me (Passa-me) aí um pão". (Neste caso, embrulhei de facto o pão num guardanapo. Calhou...)
- "Embrulha (Junta) isto àquilo."
- "Pode embrulhar (levar)."
- Eles estão a embrulhar (comer) bem."
- "Não vais embrulhar (almoçar/jantar - dependendo da hora)?"
- "Embrulha (Assina) aí." (Referência para o recibo do ordenado)
- " Por esta altura está a embrulhar (fazer amor - ou foder, não sei...) a garina"

E há mais. Mas não me ocorrem de momento. Nem é preciso. Creio que a ideia foi transmitida.

Está visto que temos que dar uma força a ver se volta a falar Português...

Mas faço a devida ressalva.
É uma pessoa a quem, sinceramente, não posso apontar o dedo, mas que tem pancadas como toda a gente e mais exposto - pela posição que ocupa - que todos os outros.
Claro que os outros não têm "piada" em quantidade suficiente - excepto os pontapés no Português (nem a propósito, ontem ouvi "Almorródias") - para poder expôr aqui com tanto pormenor como exponho o meu boss.

Bom... E agora vou embrulhar este post e embrulhar o computador. E a seguir vou embrulhar um belo soninho.

Bons embrulhos. O que quer que isso signifique...

What the f*** is this?





Parece que não se fala noutra coisa para aqueles lados...
Será isto a sério?? É a questão que anda no ar.

Não é que o seguisse muito - ou nada - mas o que se passou entretanto? É que se não é for real, o gajo é mesmo um grande actor. Aquela forma de falar e estar...

Ou então pirou de vez.

Ainda por cima virou-se para o hip-hop - not there's nothing wrong with it.

Seja o que for, tudo de bom para ti...

I'm finally free!

E eis que o sol brilha mais intensamente. O céu tornou-se mais azul. As árvores mais verdejantes. E os pássaros cantam mais. O ar ficou mais aromatizado.

Um peso saiu de cima de mim...

E agora sim, ao que interessa!

Levemente,

13.

MJ


"I've missed more than 9000 shots in my career. I've lost almost 300 games. 26 times, I've been trusted to take the game winning shot and missed. I've failed over and over and over again in my life. And that is why I succeed.”

Uma lágrima, se faz favor.


E como de vez em quando tenho que falar na crise, aqui fica uma história - para variar - bonita.
A Paris Hilton, num acto de se louvar, decidiu desembolsar cerca de 220 mil € para... Comprar diamantes e colocá-los no painel do seu carrinho (na foto).
Isto é realmente triste.

"Oh Treze, mas o dinheiro é dela, não é teu". Verdade. Para muita pena minha...

O ridículo disto - e se calhar triste por haver pessoas de bem cujas vidas dependem disto - é que a fábrica não pode aceder ao pedido por estar parada até Maio... Coitada da Paris.

Em crise,

13.

Tacinha

Não, não vou falar do jogo de ontem. Bem, talvez um bocadinho. Lá mais para o fim.

Mas o que me captou mesmo a atenção foi o pré-jogo, ou seja, a dita reportagem de "rua", fora do estádio. Foi a única coisa que vi em directo do jogo.
Fui de certa forma obrigado a ver. Era o que estava a dar. E porque é que simplesmente não deixei de ver ou mudei de canal?

Porque estas cenas são aquelas que fazem com que não me sinta o ser mais estúpido à face da terra. As perguntas dos repórteres de rua são sempre desinteressantes e completamente estúpidas. Se bem que fazer perguntas a transeuntes não seria de esperar que me falassem acerca do sentido da vida...

As perguntas eram quase sempre as mesmas, variando somente perante as respostas. A primeira e última perguntas, essas pelo menos eram sempre as mesmas para todos. Esta foi a primeira de 5 ou 6 que apanhei enquanto pude.

(Adepto com cachecol do Sporting, vindo de Lisboa)

Repórter: "Então o que é preciso para o seu Sporting levar a melhor sobre o Benfica?" (Brilhante pergunta, com todo o sentido prático - que nunca me lembraria de perguntar - e à qual desejo ardentemente saber a resposta para além do óbvio: Marcar mais que o adversário...)
Adepto: "Tem que encher mais o campo que o Benfica" (Oh lá! Por esta não esperava eu. Nem o repórter. Um filósofo do futebol - mais um...);

R: "O que quer dizer com isso de «encher mais o campo que o adversário»?"
A: "Então... Movimentar-se melhor nas quatro linhas, trocar melhor a bola..." (Ah... E a montanha pariu um gatinho... A expectativa é lixada!)

R: "E acredita no seu Sporting para levar de vencida o Benfica?" (Com licença: Então mas olha lá, o homenzinho comprou bilhete e veio de propósito de Lisboa para ver o seu clube. O que é que achas?!)
A: "Claro que sim!" (Eu responderia como em cima entre parênteses, mas na primeira pessoa do singular. Ou então tal como está, à jogador da bola)

E pronto, lá ia o repórter à sua vida continuar com as perguntas sem sentido. Aparecer na tv para fazer isto. Mais valia perguntar às pessoas o que estavam a fazer por ali em tempo de crise (eu e a crise também já nos estamos a tornar muito previsíveis).

Vamos lá ao jogo.
Jogo esse que, a ver pelo resumo , mais parecia um jogo de rugby. Vi o resumo hoje na Sic Notícias - extraordinariamente longo e secante. Ah! mas isso foi o resumo. Precisamente! Se no resumo mostraram aquilo tudo, só posso presumir que o jogo foi mesmo como me pareceu.
Vi o lance do penalti. Por mais que me digam que calha a todos e que outros já festejaram vitórias com lances idênticos, o que eu digo é que se os jogadores do (meu) Benfica fossem jogadores a sério tinham dito ao Reyes para atirar ao lado. Era o que eu faria.
É vergonhoso (e desonroso) vencer dessa forma. E reforço que não é só o Benfica que ganha assim. Mas com a vergonha dos outros posso eu bem.

Ver a jornalista a seguir ao resumo dizer ao comentador desportivo - que falava nesse lance como algo sem sentido - que "parece ser unânime" a opinião relativamente a ter sido mal assinalado foi como ouvir dizer que a camisola do Benfica é vermelha (ou encarnada, como entenderem)... Por favor!

A visita continua...

Hoje foi a vez de Angola receber o Papa...

Sempre tive uma certa curiosidade relativamente a alguém que lá possa entrar e dizer o que lhe vai na cabeça sem ter qualquer problema quanto à sua segurança.

A frase do dia referiu-se aos direitos humanos e mais especificamente, pediu que "de uma vez por todas a corrupção" seja erradicada.
Por momentos, ainda me passou pela cabeça que o Papa estivesse em Portugal. Mas não. Estava mesmo em Angola.

Mas porque não advertir que é anormal que um presidente esteja em funções há 28 anos, sem nunca ter sido eleito para tal. Com um padrão de vida - ele e a sua familia - elevadissimo, usufruindo das riquezas do país e recusando-a ao seu povo que vive na miséria...
Podia também ter acrescentado que algo está mal quando um país cuja capital tem um custo de vida elevadissimo, com arrendamentos mais elevados que em Chelsea ou Manhattan, por exemplo.

Isso sim, seria lutar pelos direitos humanos. Agora atirar para o ar o tema da corrupção e do zelo e respeito pelos direitos dos cidadãos africanos, de forma indirecta, afecta-o (e a todos os outros presidentes agarrados ao poder pelo continente fora) tanto como me afecta a mim este sol de Primavera...

Se já ontem foi polémico com os preservativos, agora era utilizar todas as palavrinhas e apontar aos alvos tudo aquilo que toda a gente sabe e que ele saberá ainda melhor.

Mas já estou a ver o Edudardo dos Santos a replicar: "Como diz o meu "amigo" Jorge Coelho, corrupção há em todo a parte, até em Portugal".

Pois...

13.

Aí está!


Já começou!

Lá vamos ter nova novela.

Ainda por cima com o maluco dos galácticos...

Olha Florentino, não queres levar a Ronalda também? Pague 1 leve 2.
E já agora leva também o Alberto João Jardim.
E o Paulo Portas (que a dentadura dele consegue ser ainda mais branca que a camisola do Real).

E mais uns quantos que quando chegar a casa (que agora não tenho tempo) indicarei.

Pode ser?

Crise existencial...


Há coisas que me fazem confusão...

Para que se vai construir mais uma ponte sobre o Tejo? Qual a necessidade? Qual a sua utilidade (para além do óbvio)?
Qual é a razão para se gastarem mais cerca de 1500 Milhões (é um pouco mais e, como costume será ainda mais do que o orçado)?
Aparte de todas as polémicas de o Sr. Zé dizer que esta custa mais que a da sua zona (de interesse) e do Sr. Manel que diz que custa mais do que a da sua zona e que a da sua zona ainda custa menos que a da zona do Sr. Zé, a verdade é que há muitas razões, ou melhor, objectivos, para esta ser construida.
Nem sequer vou ter em conta o aval do Ministério do Ambiente, porque, quer queiram quer não queiram, são do mesmo partido e todos eles seguem o seu menino de ouro... Seja ele quem for.

E os objectivos passam, na sua vaga concepção, pelo desenvolvimento do país (ou de umas quantas cidades, se quisermos).

Atenuar assimetrias em termos de acessibilidade e aliviar as actuais travessias do Tejo em Lisboa.
E é aqui que começo a entrar em curto-circuito. Não entendo porque se pretende uma terceira travessia quando a Câmara de Lisboa (personificada) pretende afastar os automóveis da cidade? E aliviar as actuais travessias do Tejo? O estudo de impacto ambiental demonstrou que a circulação automóvel provocará impactes ambientais negativos no que toca ao ruído e à qualidade do ar.
E o que significa isto? Que na hora de ponta as portagens serão mais caras de forma a "convidar" os automobilistas a tomarem outras... Alternativas de travessia. Isto já me está a cheirar a esturro. Ainda a contradição vai no adro...
Outra das medidas é que se circule, sempre que possivel (ou seja, nunca!), a 50km/h e no máximo a 80km/h para minimizar as emissões dos gases de efeito de estufa. Isto tendo em conta que Portugal é só o maior emissor de gases (ou não fôssemos o pais da Feijoada) da UE. Mais um dado em que estamos na linha da frente. Ou seja, em último. E mais vamos contribuir para tal.

Melhorar as ligações ferroviárias de longo-curso Norte/Sul.
Não é mal visto também. O problema é que para sermos o país que mais gases emite para a atmosfera, temos que o fazer em parte, por via dos motorizados. E mais uma vez, somos dos primeiros (o segundo se não estou a cair em erro) na maior quantidade de quilómetros percorridos per capita da UE.

Algo está a falhar nisto tudo...

Podem dizer-me que os do Barreiro também merecem ter uma travessia. Permitam-me:
Mas que porra tem o merecer a ver com isso?!
É que apesar da crise de que toda a gente fala e que serve para aumentar o pessimismo cá da malta e para aumentar as justificações para mandar pessoas para o desemprego, continuamos a ter pessoas a inundarem Lisboa de carros. E o carro consome combustivel e o combustivel tem um custo (que deu lucros brutais aos "coitadinhos" da Galp -200% relativamente ao mesmo periodo do ano passado). Além de que se gasta mais do que num percurso normal por causa dos engarrafamentos. Talvez a crise não chegue a todos...
"Ah, não tens nada a ver com isso porque o dinheiro para o combustivel não te sai do bolso". O problema é que sai! Do meu e de todos os contribuintes. Porque é à conta dessa vitimização e dessa "injustiça" que se vai construir mais uma ponte...
Mas há a questão de o comboio ser mais directo e rápido. Tudo bem! Será mais rápido em cerca de 18 minutos... Vale a pena? Eu creio que não.
Mas de que serve a minha opinião? Eu até moro deste lado. Apanho um autocarro e estou em Lisboa. Claro!
E vocês só têm que apanhar um comboio (ou barco) e o metro...

Assegurar a ligação Lisboa-Madrid em 2h45.
Uau! Fantástico! Mais rápido só o Flash. E o Super-Homem - que, para quem não sabe, foi vencido pelo primeiro, numa corrida à volta do mundo, por escassos milímetros.
Mas até que nem é mal pensado. Há que precaver o aumento do petróleo e o consequente aumento dos combustiveis e o que isso acarreta. As viagens de avião ficarão mais caras.
Até que não seria mal visto se não estivessemos a preparar-nos para construir... Um novo aeroporto.
Que por sua vez não é o Pai Natal que o vai trazer para Alcochete.
Até pode ser o Pai Natal, mas certamente não o fará de borla. Até porque eles não só se portaram mal este ano, como têm andado a portar há muito. E não me refiro só a estes últimos 4 anos.

O que nos leva ao TGV.
Questiono-me acerca do TGV e do seu sentido?
Com a ligação Lisboa-Porto poupar-se-á 1h20. Segundo a RAVE, a ligação por TGV levará 1h15m a concluir-se. A CP aponta, com as melhorias efectuadas, para 2h35m de viagem. 1h20m por 4500 Milhões de €. Que assusta só de pensar no que acontecerá a tanto dinheiro a circular pelos Loureiros e Coelhos deste pais...
Teremos assim tantos passageiros? A RAVE aponta para uma procura de 12,2 Milhões de pessoas (por ano, presumo). Portugueses? Espanhóis? Europeus? O quê? Quem?
E não esquecer no que foi gasto para melhorar a linha para a ligação Lisboa-Porto actual.

Depois há que ter em conta que somos um povo completamente dependente do automóvel para tudo o que é deslocação.
Há que ter em conta o facto de termos auto-estradas aos pontapés (mais uma em que estamos em primeiro).
Rara será a familia que viajará de TGV não optando por ir de carro - prevê-se que cada bilhete custe 40€ -, digo eu . Mesmo que haja descontos para familias, quem optará por tal?
E quantos viajantes internos temos nós para fazer face a esse orçamento? Nisto sou sincero. Não acredito nos meus compatriotas para fazer face à despesa. Que nos salvem os outros. Ou as mercadorias...

O que é certo é que com o TGV vamos acompanhar os paises aderentes. Vamos estar na linha da frente. Vamos desenvolver-nos e evoluir. Vamos - adoro! - modernizar-nos.

Posso ser eu que estou a ser pessimista e a cuspir - mais uma vez - para o ar. "Treze, vais ver que tudo vai correr bem. Confia em nós" Pois sim. "Porque é que temos que ser tão Velhos do Restelo?"
Eu até que queria (e quero) acreditar. O problema é que já fizeram tanta merda que já ninguém acredita. É impossivel. Por mais optimista que seja.

E há o maior dos detalhes que deita por terra qualquer entusiasmo, qualquer concórdia com os estes projectos que eu pudesse ter, que é o facto de a nossa dívida externa já se situar nos 90% do PIB. Não interessa quanto isso representa. Interessa que é um número monstruosamente elevado. E é do exterior, com toda a certeza, que vêm os dinheiros para estas construções.

E isto é tanto para um partido como para outro, que nisto escusam tirar a água do seu capote porque se o PS andou a atirar areia para os nossos olhos e depois apresentou projectos megalómanos com todo o à vontade de riquinho, foi o PSD que assinou o acordo para o TGV. "Ah mas naquela altura não havia crise" O tanas! Desculpa esfarrapada!

Acho que já me perdi... Estou cansado. Com sono.

A finalizar (sem mais análise - de leigo - que seja), acrescentar uma questão que alimenta o pouco que tenho para pensar:
Para quê o novo aeroporto? Porque o existente não tem capacidade para os visitantes que se prevêem para o futuro, dizem "eles".
Então para que vai servir o TGV? Não é para dar alternativas de viagem a esses mesmos viajantes? E por sua vez aliviar o aeroporto existente?
E se vamos ter novo aeroporto, porque se fizeram as obras que se fizeram no de Lisboa? E porque estão a fazer uma estação de metro neste? A gastarem mais dinheiro ainda?

Pode ser que seja eu que sou burro. E não veja os benefícios bem à frente do meu nariz.

Agora sim, estou exausto! E pela primeira vez não vou reler o que escrevi.

Estou farto destes ares de novos ricos. De agora em diante farei por não falar mais destes gajos (o que me parece altamente improvável).

Os meus pais sempre me disseram: "Quem não tem dinheiro, não tem vícios."
Têm vergonha de dizer aos espanhóis que não há dinheiro para entrar com eles no comboio (literalmente) do futuro? Não fizessem merda!
Sentem-se ridículos por ter que dizer à UE que não podem embarcar em projectos desta natureza? Fossem competentes e não atirassem dinheiro ao rio e aos seus compadrios.

Aguentem-se! E olhem para dentro (para nós) em vez de andarem a alimentarem os vossos egos!

Estupidamente (acordado a estas horas),

13.

IRC

«Não vos percebo!

O que é que eu fiz para merecer isto - segundo dizem, cada um tem o que merece -, porque não percebo!

Posso ter feito muita merda. Mas do ponto de vista moral. Coisas que em nada têm a ver com isto.

Nunca vos maltratei, mas vocês insistem em fazê-lo. Em me fazer sentir fraco.
É certo que coisas houve que se pudesse voltar atrás, voltava. Mas isso é de outro índole. Estou a pagar por tal. Agora isto não! Para isto nada contribuí. Era somente um pirralho que nada sabia (continuo sem saber) da vida. Nada nem ninguém podia ou conseguia influenciar.

Não me é permitido aquilo que mais quero. Constantemente deixado de parte. Constantemente a navegar sem rumo.

Bem sei que vocês me disseram, vezes sem conta, que devia levar as coisas com mais calma. Mas porra!, com mais calma e "morria"!

Sempre me disseram que alternativas as havia, que era tudo uma questão de vontade. E quando a vontade não se encontra para aí? E quando o corpo e a mente se inclinam precisamente para onde é impossivel caminhar?

Luto por algo que não sinto? Por algo que me arrasta? Ou desisto?

Nem uma nem outra, creio. Encontro-me no meio do nada. Olho para trás e vejo que nada fiz nem nada semeei. Olho para a frente e vejo escuro. Perdido...

Perante o fim anunciado, que fazer?
Apago as luzes e vou para casa?

Não! Que se foda! Se é para finalizar, que seja em grande. Que se desça a cortina com aplausos e com sensação de nada ter deixado ao acaso nem por cumprir. Não alcançar a realização, mas sair com espírito de dever cumprido. Mesmo sem nada para contar ou acrescentar aos outros, mas viver as experiências a mim prometidas.

Estou farto de não ter coragem para vos dizer a verdade. E esta é a verdade - Vocês foram a minha maior desilusão. Sei que não fui menos para quem importa. Não me desculpo convosco, mas aponto-vos o dedo. Sem dó nem piedade. Foram vocês que me impediram os sonhos. Foram vocês que me "mataram".

Ainda assim, não fossem vocês e eu não tinha vivido para conhecer o que conheci nem conhecer quem conheci, nem amar quem amei e amo.
Não fossem vocês e não teria a possibilidade de fazer o que fiz e o que ainda vou fazer...

A vida não é um fatalismo. É um presente, é um dom. Sem dúvida! Mas há muito abdiquei de muito. Há muito abdiquei de mim. Por mais que a vida seja um dom e que mereça ser vivida, a realidade é que perdi a fé em mim.

Deixo-te, no meio desta nostalgia, o sentimento de que me deste muito apesar de te ter dado tão pouco. Muitas há fantásticas. Poucas há com M. Tu és uma dessas. Esteja onde estiver, estarei a torcer por ti. (Conto-te isto porque sim)»

Papa Bento (do século) XVI

"Não se pode resolver o problema da sida com a distribuição de preservativos. Pelo contrário, (a sua) utilização agrava o problema".

Foi com esta "introdução" que o Papa abriu as "hostes" na visita que fará pelo continente Africano. Ao qual juntou a sua solução que passa pela fidelidade ou abstinência.

Fácil e simples, não?
Principalmente numa parte do continente onde, por exemplo, homens violam lésbicas com o intuito de as "curarem", de as fazerem ver o que é estar com um homem. Falo da África do Sul e por certo não será o único.
E melhor que eu saberão eles que em África (perdão pela minha ignorância de não saber ao certo quais os países) existe a cultura de 1 homem para várias mulheres e em que estas se "aceitam".
E que vive uma cultura de total desrespeito pelos direitos humanos (os factores são multiplos mas não é isso de que se trata agora).
Como é que se mete na cabeça destas pessoas (e mesmo na de pessoas civilizadas) que devem praticar abstinência sexual? Nos tempos que correm...

É muito bonito sim, apregoar que o sexo só deve acontecer entre marido e mulher - e nunca antes da contracção do matrimónio - mas pergunto, em que século vive a Igreja Católica?

Estará o Papa entre nós?

Não digo que devam passar a ser liberais e boémios. Claro que não. Mas o Papa é aquela figura de inegável influência. É alguém que carrega consigo uma autêntica bomba (com todo o respeito). E podia usar essa mesma influência para dizer algo mais acertado, algo mais - precisamente - influente.
Mas não! Atira precisamente na direcção da fogueira, ou seja, da negação do verdadeiro problema.

Como tudo na vida, há que se adaptar à realidade.
E com todo o respeito, ou se adaptam, ainda que com posições conservadoras mas exemplares, ou que se calem!
Porque para defenderem o que defendem (e como defendem), não só não se permitem ajudar ou serem parte da solução como se tornam parte do problema.

Depois do recente caso da menina brasileira de 9 anos, em que demonstraram uma irredutibilidade perante tal acontecimento, voltam a dar novas mostras de "atraso" temporal e social.

Os tempos vão avançando e a Igreja recusa-se a tal. Porquê? E para quê? Protagonismo?

Tudo isto deve dar muito que pensar a quem os segue. Ou deveria.
Porque não consigo conceber crentes como rebanho e não como individuais pensantes...

And the Oscar is sleeping...

Não, não vou falar do filme. Não vou fazer a crítica habitual que se faz quando se vê um filme, nem dar o meu parecer. É o Clint Eastwood e está tudo dito - só impressiona como é incapaz de fazer um filme mau.
Até porque não tenho problema em afirmar que não o consigo. Que não tenho essa capacidade. Talvez com mais tempo escrevesse algo mais desenvolvido mas ainda assim sem grande profundidade.
Dizem que o filme é como que um apanhado de diversas personagens suas. É possivel. Aqui e acolá reconhecem-se. Mas não vou partir para esse cliché. Já o disseram e não vou fazer dessas ideias as minhas.

Por isso, é com o meu reverente silêncio que presto homenagem a este 66º e último filme de Clint Eastwood como actor (palmas).

Só há uma coisa que me faz confusão. Como é possivel nem ter concorrido aos Oscares.
Só se estiver preparado para ir aos próximos... Se bem que não é por tal que deixa de ser o filme que é.

Respeitosamente,

13.

PS1: Desculpa An@, mas tive que ir ver. Senti-me como os putos que querem o brinquedo mais do que tudo e que só serão felizes se o tiverem naquele preciso momento.
PS2: Espero que esteja tudo bem contigo. As melhoras.

Caramba!...

... Ainda dizem que ser futebolista é que é...

"Um adepto iraquiano matou domingo a tiro um futebolista da equipa adversária, numa altura em que este estava isolado frente ao guarda-redes e tinha a possibilidade de marcar um golo que empataria o desafio.

Muthanna Khalid, responsável da polícia iraquiana, revelou que quando um jogador da equipa amadora de Buhairat estava isolado frente ao guarda-redes, durante um jogo de amadores em Hillah, um adepto da equipa de Sinjar atingiu-o com um tiro na cabeça, quando faltava um minuto para o jogo terminar.
A fonte policial indicou que o espectador foi detido.

Com o aumento da segurança, há mais iraquianos a voltarem-se para os eventos desportivos, que são alvo de fortes medidas de segurança nos principais jogos em Bagdad, mas esta é mais fraca em jogos amadores e em cidades mais pequenas."
In «Expresso online»

Hoje dei para o futebol...

Em estado de choque,

13.

Herói por um dia

Não há dia que o nosso primeiro-ministro não seja noticia. Ele é a licenciatura, é a arrogância e prepotência, é o Magalhães, é o desemprego a aumentar, é a incompetência e as trapalhadas dos seus pares, é as manifestações, é o caso Freeport, devia ser a oposição (mas não é porque não há), ele é pano para mangas, pau para toda a obra!

Mas nem sempre podia ser assim. Alguma vez havia de ser herói (excepto para os seus, que é muito mais que isso)...

Grande vôo...

Com todo o fair-play,

13.

Mas Deus castiga?

"Se não estou a falar a verdade, que caia sobre a pessoa que eu mais amo, a minha filha, todos os males do mundo.", pedindo ainda a Deus para castigar aqueles "que provocaram esta situação" e considerou a "acusação maquiavélica".

Lá vêm eles com a mania de chamar Deus para os seus assuntos...

E lá diz o ditado: "Quem mais jura mais mente".
Só uma questãozinha. É suposto ter mais crédito ou as provas terem mais ou menos peso (para a inocência ou para a culpabilidade) por jurar o que quer que seja por quem quer que seja?

O meu lugar ao sol

Ainda que ainda faltem as chuvas de Abril, já não há como não deixar de sentir que já aí está o tempo do sol, do calor, da praia e das belas sestas debaixo do chapéu, das viagens para fora, do pôr-do-sol... Do livro num banco à sombra e das sardinhadas e dos pimentos grelhados.

(Quando falo da praia, falo de uma em específico, que é raro haver 20 pessoas por m2. Se bem que com as obras que lhe fizeram, incluuindo o parque de estacionamento, provavelmente essa paz deixará de existir...)

Começa agora o verdadeiro ano. Gosto de acreditar que é nesta altura que tudo recomeça, após as limpezas efectuadas pelas chuvas. Gosto de acreditar que é perante o sol que surgem as novas oportunidades e novas energias e forças para ir à luta. E para desbravar terreno.

É também nesta altura - e vá-se lá saber porquê - que fico mais nostálgico (não deve faltar muito para saltar para aí um post acerca disso...). O motivo andará por aí algures.

É por estas alturas que vemos o Alberto João de calções e t-shirt. Ou a Manuela Ferreira de saias... É quando vemos com mais apreço ainda as corridas do José Porreiro.

E como não pode haver só o lado bom, também há o lado mau do calor.
A das corridas faz-me logo lembrar nas incómodas nódoas... E naquela amalgama de cheiros que se concentram, principalmente, nos autocarros - que raio!. É este o tempo em que uma máscara de oxigénio dava um jeitasso!
E há o tremendo inconveniente do amontoado de pessoas nas praias - aliás, em todo o lado -, tudo porque não querem andar mais uns metros...
E claro, o ainda maior incoveniente de ir trabalhar e ver os nossos amigos partirem para locais bem melhores, mais atractivvos e bem mais arejados... Isso é que é "óptimo"...

Olhem, que o sol venha abrilhantar ainda mais essas carinhas larocas e as vossas vidas.

E como vem a calhar com o meu "bronze" de neve, uma musiquinha - que há muito não aparecia - de um grupo que descobri graças a ler suplementos ao Sábado...

Sinceramente, acho que são um tanto presunçosos para se chamarem "The Whitest Boy Alive"...

Calorosamente,

DD.

Já não há pachorra.

E após ISTO, eis não só a confirmação mas também a confirmação de que isto vai de mal a pior...

A entrevista (Expresso) do Arcebispo José Sobrinho, que excomungou a mãe da menina brasileira de 9 anos que foi violada pelo padrasto e os 15 clinicos que praticaram o aborto.

"Gosto" especialmente do uso da Lei de Deus.
Continuem a ser homens de Deus, mas não usem o nome Dele em vão... Se faz favor.

"O que o levou a actuar desta forma? Conhecia a menina e a família?
Esta menina que engravidou depois de violação apenas com nove anos vivia numa outra diocese, de Pesqueira, no interior do estado de Pernambuco. Foi acompanhada sobretudo pelo pároco da sua pequena localidade, chamada Alagoinhas. Por estar grávida, foi transportada aqui para a capital, Recife, e internada no hospital. Aí a direcção do hospital estava a fazer tudo para salvar a vida da mãe e dos dois bebes. E esse hospital declarou que não iria praticar o aborto. Então, quando estávamos a acompanhar o caso, fomos informados que um grupo de mulheres chamadas feministas chegaram de surpresa a esse hospital e convenceram a mãe da menina a tranferi-la para outro hospital onde seria feito aborto.

Como teve conhecimento de todo este caso?
Porque o bispo de Pesqueiras andava acompanhando esta situação, assim como o padre de Alagoinhas e pediu que aqui na arquidiocese e junto dos advogados católicos fizessemos todos os esforços para impedir que o aborto se realizasse. Então, eu fiz o que podia. Entrei em contacto com o director do hospital, que me garantiu que iria suspender qualquer medida médica para preparar o aborto. Procurei também uma audiência com a superintendente da Justiça de Permanunco, que também me garantiu que usaria todos os meios para impedir o aborto. Eu queria salvar as três vidas. E fui apanhado de surpresa quando, um pouco clandestinamente, a menina foi levada para outro hospital para fazer o aborto.

Chegou a encontrar-se com a mãe e com a menina?
O contacto imediato foi sempre feito pelo sacerdote. Aqui, em Recife, tentei chegar à fala com a mãe para a tentar convencer, mas quando estava nesta tentativa, recebemos a notícia de que já tinha saído do hospital, sem deixar qualquer endereço. Induzida por essas chamadas feministas que defendem o aborto.

O hospital onde foi feito o aborto alega que a menina corria risco de vida?
Esses dizem que havia risco de vida, mas outros médicos, muito competentes dizem que não. Havia a probabilidade de salvar as três vidas, havia a possibilidade de fazer uma cesariana no sexto mês de gravidez. Nunca é lícito eliminar duas vidas inocentes para salvar outra vida. Nós estamos proclamando a lei de Deus, a doutrina da Igreja que é a lei natural, o quinto mandamento que diz "não matarás". A lei de Deus está acima de todas as outras. Recordamos sempre o exemplo extraordinário de Gianna Beretta Mola, médica italiana grávida e que preferiu morrer de parto. E foi canonizada por João Paulo II porque aceitou a morte para salvar a sua filha.

Mas trata-se aqui de uma menina pequena, vítima de violação.
A mãe é tão criança como os filhos!A violação do padrasto é, também, um crime gravíssimo. A Igreja também o condena. Mas não se pode dizer que se justifica eliminar a vida de dois inocentes.
Esperava esta chuva de críticas, até do Presidente da República?

Sugeriria ao Presidente da República que antes de falar sobre estes assuntos, consultasse algum teólogo. Há uma coincidência interessante. Há um ano, o papa Bento XVI recebeu o embaixador do Brasil junto da Santa Sé, a quem pediu para usar todos os meios para salvar a vida do embrião. É um princípio que a Igreja sempre defendeu. Há agora aqui leis que permitem o aborto em certas circunstâncias. Como católicos temos de continuar a proclamar a lei de Deus.

Não lhe surpreenderam as críticas?T
enho recebido muitas mensagens de apoio. Sobretudo o perfeito da congregação dos bipos, o cardeal Re, aprovou a minha atitude. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil também já fez uma declaração. Médicos católicos, vários me telefonaram a dizer que não fariam isso porque havia probabilidade de salvar todas as vidas. Tenho também recebido mensagens até do exterior, alguns insultos graves mas há uma infinidade de mensagens aprovando o que fiz. Gostaria de deixar bem claro: eu não excomunguei nínguem! Simplesmente mencionei o que está escrito no código de direito canónico. O artigo 1398 diz o seguinte: quem comete o aborto incorre automaticamente na excomunhão. Não fui eu que excomunguei. Foi a lei da Igreja.

Então esta mãe e este médicos não podem voltar à Igreja?
Como diz o código de direito canónico, esta é uma medida terapeutica. A Igreja procura a salvação de todos, mas ao aplicar esta penalidade a finalidade é que as pessoas que erraram se convertam. A Igreja não condena ninguém para a eternidade. Quero é despertar consciências, esperando que se arrependam. Não existe pecado sem perdão para aqueles que se arrependem. No mundo há 50 milhões de abortos, no Brasil um milhão. Não podemos ficar no silêncio. O mundo inteiro continua a condenar o holocausto que matou seis milhões de judeus, Eu digo: existe um holocausto silencioso que é o aborto e a Igreja não pode ficar silêncio.

Para si, é condição para que esta mãe e estes médicos regressem à Igreja, que se arrependam?Claro. A porta está sempre aberta. Arrepender significa mudar de procedimento. Qualquer pessoa, mesmo o maior criminoso, se se arrepender a Igreja estará de braços abertos para o receber.

Já por mais vezes, excomungou fiéis?
Eu diariamente tenho um programa na Rádio Católico, que é uma espécie de catequese, divulgando a doutrina oficial da Igreja. Nós estamos continuamente mostrando ao povo o que é viver na lei de Deus. A nossa igreja continua sempre pregando a lei de Deus. Mas nunca chamei a atenção para nenhum caso concreto. Não houve assim um caso tão clamoroso como este. Que foi muito mediatizado. Vieram logo os jornalistas entrevistar-me e eu lembrei que perante isto a lei da Igreja implica a excomunhão.

Que não envolve a menina?
Claro. As penalidades da Igreja são para os adultos. A Igreja é mãe, é misercordiosa. Mas não pode aprovar uma situação assim. É contrária à lei de Deus.

Porque não excomunga, também o padrasto?
Não deve ele ser afastado da vida da Igreja?A Igreja continua a afirmar que a violação, como a pedofilia, o adultério ou o concubinato são pecados gravíssimos. Na legislação da Igreja, não se achou oportuno para cada um desses pecados determinar a excomunhão latus sentenciae, isto é automática. Isto não quer dizer que a Igreja que os considere pecados lícitos. Por exemplo, há pecados gravíssimos como o homicídio. Se um adulto matar outro adulto no meio da rua, não será excomungado, o que não quer dizer que não tenha cometido um pecado grave. A Igreja reduziu a aplicação da excomunhão a pecados tão graves como o aborto, que precisam de alertar consciência dos católicos. Quem estudar o catecismo da Igreja católica, percebe isto. É importante nesta sociedade actual, que é uma sociedade mista, com as pessoas que não são católicas e que acham que a lei civil confere direitos em relação à lei de Deus. A lei de Deus está acima de tudo. Uma lei, em qualquer país que seja, que aprove o aborto é uma iniquidade. Temos de proclamar isto."

Bom fim-de-semana.

Caixa de e-correio

Vamos todos às compras em Faro.




A vergonha vai nua...

O PSD veio ontem a publico dar a conhecer o balanço que fez destes 4 anos de governação PS.
Muito bem, é algo que os partidos fazem antes das eleições.

Mas o "muito bem" fica mesmo por aqui. Sou completamente apartidário, logo o que escrevo é somente o que penso e não qualquer ideologia política.

O PSD - assim como outros - fez um balanço muito negativo do governo nestes 4 anos, como já acima foi referido.

Então pergunto-me que balanço se pode fazer destes 4 anos de oposição PSD?

Que balanço fazer de um partido totalmente repartido, sem idéias, sem rumo, sem timoneiro, sem convergência, em que só falta andarem à estalada (se é que o não fizeram já)?
Que balanço se deve fazer de um PSD, quando a mais forte oposição ao PS é precisamente o PS?

Se estes anos foram "muito negativos" para o PS, que nota atribuir ao PSD, quando as sondagens - que valem o que valem - continuam a indicar maior peso para o partido em funções executivas?

Se as pessoas não acreditam num Sócrates, muito menos acreditam numa Manuela Ferreira Leite (ou outro qualquer que se decida a avançar...)

Sei que não é por sermos maus ou termos maus desempenhos que não podemos ou devemos deixar de criticar, mas olhem para dentro antes de deitarem para fora o que quer que seja. Haja consciência! E respeito pela inteligênca daqueles para quem pretendem passar a mensagem.

A vergonha vai, com toda a pompa e circunstância, nua.

PS: Não se esqueçam que se o PS tem uns tantos envolvidos em polémicas, também vocês os têm. Dias Loureiro diz-vos alguma coisa? Só a título de exemplo...

Saturadamente,

DD.

Closing the shell

«Tudo nesta vida passa.
E quando não passa e o corpo não resiste, a vida consome.
E a mente finaliza.
E tudo se resolve. Até a morte.»

Indeed.

L,

R.

Porque...

... Me surpreendeu.

Pela positiva.
Pelo enredo.
Pelo final.
Um filme anti-herói.

Watching over you,

DD.



Cúmulo...

Estava eu ontem parado (en mi coche) no semáforo quando me deparei com uma situação no mínimo... Contraditória.

Já viram a malta da Limpeza Urbana?

Pois bem, continuando... Reparei que o senhor na sua motinha (à minha frente) pegou no cigarro que tinha (só o vi depois do acto em si) e jogou-o para onde?
Para a caixinha? Não! Claro que não. Deitou-o precisamente para o local que supostamente é pago para limpar. Para o chão, claro. E atirou-o para bem longe.
Será biodegradável? Não me parece, senhor Limpeza.

Irónico. (penso)

E como reage uma pessoa perante um acto destes? Chama o senhor Limpeza à atenção? Apresenta queixa a um superior? Assobia para o lado e finge que não viu?
Não sei. Faz o que eu fiz?
Não fui de modos, meti a primeira, arranquei de tal forma fast & furious e espetei-lhe uma bela cacetada! Daquelas clássicas. (??)

Foi vê-lo a voar... Bela expressão a do senhor. Posso jurar-vos que estava com uma expressão mista de surpresa e medo. (Embora me pareça que havia ali uma sensação feel-good...)
Saí do carro a toda a velocidade, peguei no aspirador e aspirei-o .
E ao cigarro também. Era o mínimo que o meu apelo pelo dever cívico me podia levar a fazer.

E foi assim que no auge do meu devaneio, fui "despertado" pela buzina do carro atrás que me indicava que o semáforo já estava verde. E lá segui eu viagem. Suspiro...

Acho que foi por causa deste ligeiro pensamento malévolo que o carro deu de si mais tarde. Tubo da circulação da água rompido. (Tem tudo a ver...)

O efeito cueca azul não se está a fazer sentir. Não está, não!
Raios partam a crise! Até o negócio da sorte está a fazer vítimas!

Desgraçadamente,

DD.

Passa a batata (Soluções)


Era para me ir deitar quando encalhei num blogue com este desafio e me lembrei do meu e das respostas que não dei aos (milhares de) seguidores...

Com direito a explicação e tudo...

1 - Chorei com o fim de “David e os Gnomos”; (Verdade)
Teve direito a choro de baba e ranho. Estava a ver o episódio em casa de uma vizinha e tive que vir para casa para expressar livremente os meus sentimentos.

2 – Não gosto de bacalhau com natas; (Mentira)
Adoro! Então o que a mãezinha faz... O melhor do Mundo! E do Universo (mesmo que haja vida inteligente para lá da Via Láctea)!

3 - O meu primeiro filme no cinema foi o Rambo III; (Verdade)
Ainda me lembro... Estava eu na 3ª classe. A minha tia estava de visita e foi-me buscar e ao meu irmão e lá tive eu uma estreia em grande na sétima arte. Ainda hoje recordo com um brilho nos olhos, o momento em que o John Rambo retira o estilhaço do corpo e sara a zona com pólvora.

4 – Já estive no Cristo-Rei; (Mentira)
Ainda não fui... Mas está marcado.

5 – Quando andava na primária, ninguém saiu do refeitório enquanto não acabei de comer o caldo verde...; (Verdadinha)
A educadora obrigou-me a comer o caldo verde (que na altura abominava por completo!) e enquanto tal não acontecesse, ninguém saía. Quer parecer-me que foi caso único. Vendo bem, acho que foi aí que começaram os meus traumas...

6 - Já fui à América; (Verdade)
Estive nos Estados Unidos e no Brasil.

7 - Quando era pequeno queria ser ladrão; (Verdade)
Nunca fui daqueles que queria ser policia ou bombeiro. Nem sei bem porque o disse ou dizia querer ser. Não tinha nem nunca tive jeito para tal. Parvoíces de miúdo... Só por volta dos 13, 14 é que decidi o que queria realmente (o que é bem diferente do que faço actualmente).

8/9 – Sou lindo! (Não sei...)
Eu inclino-me para o Falso, mas o veredicto do público que respondeu em massa mostra o contrário. E como contra opiniões independentes não há argumentos parciais nem de auto-comiseração, lá terei que tomar esta última como Verdadeira.

Sinceramente,

DD.

Finalizando...

Hoje sim, é que finalizo o dia dedicado à mulher (que a meu ver, e bem piegas, devia ser todos os dias...).

Hoje foi dia de sessão dupla. Por curiosidade, em ambos os filmes, foram as mulheres as protagonistas.

Maior contraste de filmes não podia haver.

No segundo filme do dia, a história é baseada em factos verídicos.
Estávamos para o ver há já muito. A pedido da "blogueira" (que já não via há séculos - quase não a reconheci) cá do estaminé, lá fomos ver "A Troca".
Um belo filme (que não surpreende pela mão de Clint Eastwood) com Angelina Jolie num (surpreendentemente) excelente desempenho.
Nada de mais a acrescentar excepto a Angelina... Magrinha, magrinha! Que impressão. Ondes vais tu parar?

Já o primeiro (que vi mais cedo, by myself) foi o verdadeiro motivo deste post. É daqueles filmes que vai para a colecção.
É interessante como uma história e actores (desconhecidos ao grande público e a mim) tão simples podem tornar um filme tão cativante.
"Um Dia de Cada Vez" (Happy-Go-Lucky) é daqueles filmes feel-good. Com uma actriz (Sally Hawkins) simplesmente adorável - que marca o filme e o seu ritmo - e extremamente divertida, é sem dúvida um filme obrigatório para os dias que correm... E não só.

A palavra que me vem constantemente à cabeça é só mesmo: ADORÁVEL!

"- You can't make everyone happy.
- There's no harm in trying, is there?"

A mim, durante hora e meia, fez-me. E fez-me sair da sala do Monumental (imprópria para quem preze o pescoço) com um valente sorriso.

Aquilo que captei será sempre diferente daquilo que captará uma mulher, creio. Ainda assim arrisco aconselhar-vos (a eles também) vivamente a correrem a ver o filme. Que, por sinal, já não deve ficar muito mais tempo a pairar pelas salas.





Para rematar, dizer que vos (vocês sabem quem são) admiro cada vez mais a cada dia que passa. "Abençoadas" (têm que ver para perceber).

Sorridentemente,

DD.

E porque...

... Nem tudo tem que ser feio e ainda há coisas que são lindas, finalizo assim o meu dia da mulher.


Bonnie Bailey num original de Kate Bush.

Beijos,

DD.

Confirma-se!

Após o comentário no post anterior de que a Carolina não tinha sido agredida fisicamente, tive que ir obrigatoriamente à procura das filmagens à saída do tribunal.
Porque se há coisa que não suporto em mim é escrever uma coisa e não ter suporte para o que escrevo.

Maria, agradeço-te pelo comentário, pois assim possibilitaste-me (e a vós que vêm cá) de encontrar a pérola que se segue.

É verdade que não deu para ver pelas imagens que estão disponíveis, mas chamo a vossa atenção para duas coisas.

A primeira vai para o rol de boas maneiras e bom português que desfilou no meio daquele aparato todo. O que é sempre porreiro de ouvir.
A segunda vai para a confirmação de que a Carol foi mesmo agredida fisicamente. Mesmo no fim ouve-se (oiçam com atenção), em toda a sua cagança, a dona Marisa Magalhães (soube o nome através do "Correio da Manhã" online) afirmar orgulhosamente que "mandei-lhe um chapadão que a f***"!.




Ah granda Marisa! Já me fizestes ganhar o dia. Eu a pensar que ainda ia ser processado...

E para quem tem preocupações acerca do estado de saúde da senhora, fiquem a saber que esta se queixou de dor de cabeça e ouvido.

Se bem que comparada com o que ela já passou, isso é brincadeira de crianças...

Atentamente,

DD.

...

Li há dias, num daqueles rodapés rolantes, todos brilhantes de telejornal que a Carolina Salgado tinha sido agredida à saída do tribunal de Vila Nova de Gaia.
E mais tarde vi que foi primeira página de um jornal que não sei bem se é um jornal se um diário a dar para o cor-de-rosa, o "24 Horas".
Em ambos, e mais ainda num jornal, não percebi o porquê do destaque noticioso?

Menos surpreendente que a Carolina levar umas, só as novas relações e depressões da Elsa Raposo.

Onde está a surpresa da bela Carolina ter sido agredida?
Só se foi por ter sido agredida por uma mulher. Ou por ter sido em público.
E aquilo também não foi nada de mais, comparado com o que está habituada...

Para quem um dia disse que conhecer o Pinto da Costa e o Valentim Loureiro era o sonho de vida... Já só lhe falta mesmo plantar uma árvore (se é que já não o fez...) para ser perfeito.


Desinteressadamente,

DD.

E porque hoje é o dia...

... Da mulher.

Em co-autoria com a minha parceira de blogue - que, infelizmente, por motivos pessoais e profissionais se ausentou deste post - presenteamo-vos algo de extraordinariamente belo, romântico, quebra-corações...

Andámos por esse World Wide Web - mais precisamente nos espaços virtuais de encontros - à procura de ver como andam os gaijos a interagir com o sexo oposto à procura da felicidade...
Não interessa como, nem porquê nos ocorreu tal coisa. Nem vale a pena perguntarem. Já sabem o que a casa gasta...

Digamos que aquilo que encontrámos foi... Delicioso! (passe a expressão, até porque não provámos nada).

Desde já peço desculpa pelo post tão extenso e exaustivo que vão encontrar pela frente. Espero que consigam chegar ao fim. Be brave!

A todas vós, mulheres lindas e maravilhosas, que conheço ou vou conhecendo (e a todas as outras, que também merecem), aqui ficam estas dedicatórias de chorar por mais e para todos os gostos.
Isto é um apanhado dos melhores. Os comentários estão como foram escritos originalmente, sem correcções. Peço a vossa atenção para os mimos que se seguem. Deliciem-se.

- "Foto maravilhosa! posso saber qual é a tua área de trabalho?"
- "vc e muito muito linda belo sorriso
quer ser minha amiga????????????
beijos fique com deus"

(Atenção ao próximo, que escreve para duas diferentes)
- "Adorei a foto, assim komo tu k pareces ser mt simpatica.. um dia um arq.disse "antes de nos preocuparmos com a casca, devemos preocuparnos com a polpa"... espero k compreendas o comentario kiss linda adorava trocar mais comentarios cntg pode ser?"
- "Adorei a foto, assim komo tu k pareces ser mt simpatica.. mas nao é facil julgar uma pessoa sem a conhecer melhor, e é o que nos acontece mts vezes infelizmente, so pelo aspecto jugam nos, e nao se interessam pelo nosso interior. essas pessoas devemos ignorar pois elas so olham po fisico e po bonito, e nao po k mais interessa ... espero k compreendas o comentario kiss linda adorava trocar mais comentarios cntg pode ser?" (E eu adorei a parte do "espero k compreendas o comentario"...)

- "Tenho pena que apenas vejam o mais óbvio ignorando assim o mais belo que há em ti. Fiquei preso nesse teu olhar penetrante e embriagante. Possuis o charme e a elegância de fazer inveja a muita mulher. És deveras muito bela e única." (Ui!)
- "O teu corpo foi desenhado por um ilustrador de livros de encantar,misturando beleza e sensualidade numa so pessoa, no fim tas tu,uma bela e sublime mulher! Sem palavras para descrever a tua beleza e sensualidade k olhar lindo!! Bem esses olhos e esse olhar acaba km kualker homem. . ." (Duplo Ui!)
- "Depois de olhar várias vezes para as tuas fotos, tiro varias conclusões e dou por mim a pensar que mais interessante do que aquilo que tu mostras, é o que tu escondes... Tens um olhar luminoso...sonhador...belo...magnífico expressão de humanidade. E tens um sorriso encantador" (I'm trully... Speachless!)
- "esse sorriso até parece de mentira...um corpo lindo, com um sorriso e um olhar desses so pode ser uma miragem" (Já a tens no papo)
- "ola ,pareces saida de um filme do 007 ,estas mto bem"
- "vai uma amizade gatinha?"
- "Cada palavra que aqui escrevo é como se fosse o meu coração a dizê-la através da escrita, por isso quando digo que és muito linda ou digo que tens um sorriso bonito é porque realmente o tens e eu adorei vê-lo. Não tens de te deixar abater ou ficar de nariz no ar pelo que os outros dizem ou pensam, pois o que mais importa é o que pensamos de nós. Não fiques triste ou chateada se te repetirem a mesma coisa, porque és muito linda. Continua assim e se precisares de desabafar ou teclar um pouquito podes contar comigo. Beijinho e espero que gostes do comentário e que também me deixes um..." (Estás lá, miudo!)
- "Desculpa a invasão mas não resisti em espreitar um perfil de uma mulher bonita!" (Simpático...)

- "uma gata linda como vc numca está sozinha mt menos há procura por onde vc passa deve chuver homens ! eu pelo menos seria um deles sem duvida vc é linda de + beijo gatinha fofinha..." (Já cheira a prémio...)
- "gostei desta tua foto...e já agora desculpa a intermissão"
- "parabens es muinto gira" (Não era assim tanto...)
- "procuras por mim,e eu sem querer te encontrei foi o destino! acreditas nele? entao vem,fala comigo,adorava te conheçer"
- "fico sem palavras para tanta belesa junta." (Ou com palavras a mais...)
- "tanta beleza e sensualidade numa foto so...como conseguis-te?" (Muita dedicação e esforço)
- "ficas te bue da gira na foto eu gostava de te conhecer melhor fofa o meu mail é..."
- "PARA!!! Se andavas á procura encontras-te!"
- "tou sem palavras... a foto dis tudo" (Mais um com palavras a mais)
- "Gostava de te conhecer, achas possivél jantar-mos um dia destes? Fico aguardando a tua resposta. beijos pra ti DEUSA."

- "Deus juntou 1Kg de ternura,2Kg de alegria,3Kg de doçura,4Kg de carinho..e eis que surgiste tu!!" (Que ternura!)
- sou mais velho q tu 1dia (Que coincidência! É o destino!)

(Olhó poeta!)
Mas afinal, onde te conheci eu?
Conheci-te no espaço imaginário
Sem realidade plausível para
Poderes ser real.
Pois és um ser único entre As mulheres...
Como é possível existir
Algo de tão belo
Neste mundo cruel??

(Esta era de uma foto tirada de cima... Obviamente apontava para um "decotezorro")
- "És bonita... Mas 80% do pessoal vai reparar noutra coisa..." (Pois sim...)
- "Tens uns olhos lindos. Desculpa mas foi pra onde olhei primeiro..." (Claro...)

Aí estão os camionistas. Copy/Paste. São poucas mas "boas"...
- "Ola brasa,poxo te conhecer"
- "toda boua"
- "Comia-te toda!!" (Atenção que a foto do perfil deste era com uma criança – que não teria mais que 2 anos - , presumivelmente o filho...)
- "É caso para dizer: " Estás cá com umas Gémeas"! Que Deus te dê muito equilibrio..."
- "Teus seios fazem andar até as pirâmides de Egito..." (Oh lá!)
(E a minha preferida, sem ponta de dúvida):
- "Upa upa...belas xuxas" (A gargalhada inevitável).

Isto é de longe, o post mais parvalhão que me podia ter ocorrido fazer. Mas não podia deixar de ser feito. Porque sim. Porque este espaço merecia um post destes.

Penso que com isto já dá para terem uma melhor imagem de quem anda a servir para ESTAS estatísticas. Agora só faltam as fotos para os representarem da melhor forma. Mas isso também não é muito dificil. É puxar um bocado pela imaginação...

Agora, mais a sério (e igualmente piroso), para todas vós, lindas e maravilhosas (incluindo a mãezinha, claro!)

e um grande chuac! (Tão querido!)

Para uma, se calhar, algo mais apropriado ainda:


Tenham um óptimo dia!


DD.

Nem por acaso...

Que ao ler o jornal vi confirmada a questão de quem tinha escrito (traduzido) os jogos. Foi um senhor, emigrante em França com a 4ª classe. Não que as capacidades do senhor estejam em causa, porque o que não falta por aí são licenciados a escreverem mal.

A confusão que me continua a fazer tudo isto é a displicência com que se fazem estas coisas. A falta de organização do sistema. E pior que isso, é a falta de verificação e análise antes de colocar o Magalhães à disposição de crianças que ainda estão na fase de aprendizagem.

Já para não falar no tempo que demorou até que alguém desse por tais erros...

Lá diz o ditado: "A pressa é inimiga da perfeição".


DD

Sempre a bater no "séguinho"

A verdade é que se torna, cada vez mais, impensável não falar mal. Não apontar constantemente os erros ou o dedo (ou dedos, pela quantidade de acontecimentos). Não gozar. Não muitas coisas...

Antes de sair para ir comprar o "Expresso" resolvi clicar no seu site. E eis o que me salta à vista, de imediato. Um notícia acerca do Magalhães, a apontar os erros que este traz consigo (no caso, num jogo). "Descobertos" pelo deputado José Paulo Carvalho.
E no qual se fez uma lista (não exaustiva, referiu) de alguns.
Aqui fica o copy/paste (evidentemente não vou sublinhar os erros - sei que o "meu" público os identifica... Outras o autor identifica.):

* "Cada automóvel só pode mover horizontalmente ou verticalmente. Tu deves ganhar espaço para permitir ao carro vermelho de sair pelo portão à direita.";
* "O Tux escondeu algumas coisas. Encontra-las na boa ordem.";
* "Carrega nos elementos até pensares que encontras-te a boa resposta. (...) Nos níveis mais baixos, o Tux indica-te onde encontras-te uma boa cor marcando o elemento com um ponto preto. Podes utilizar o botão direito do rato para mudar as cores no sentido contrario.";
* "Dirije o guindaste e copía o modelo.";
* "Abaixo da grua, vai achar quatro setas que te permitem de mexer os elementos.";
* "O objectivo do quebra-cabeças é de entrar cifres entre 1 e 9 em cada quadrado da grelha, frequentemente grelhas de 9x9 que contéem grelhas de 3x3 (chamadas 'zonas'), começando com alguns números já metidos (os 'dados'). Cada linha, coluna, e zona só pode ter uma vez um símbolo ou cifre igual." (nota: instruções para o jogo sudoku);
* "Carrega em qualquer elemento que tem uma zona livre ao lado dele. Ele vai ir para ela.";
* "Enfia a bola no buraco preto á direita.";
* "Com o teclado, escreve o número de pontos que vês nos dados que caêm.";
* "O objectivo do jogo é de capturar mais sementes do que o adversário. (...) Se os jogadores se acordam no facto que o jogo está num ciclo sem fim, cada jogador captura as sementes do seu lado.";
* "Ao princípio do jogo 4 sementes são metidas em cada casa. O jogadores movem as sementes por vês. A cada torno, um jogador escolhe uma das 6 casas que controla. (...) Se a última semente também fês um total de 2 ou 3 numa casa do adversário, as sementes também são capturadas, e assim de seguida. No entanto, se um movimento permite de capturar todas as sementes do adversário, a captura é anulada (...). Este interdito é ligado a uma ideia mais geral, os jogadores devem sempre permitir ao adversário de continuar a jogar.";
* "Aceder ás actividades de descoberta.";
* "Pega as imagens na esquerda e mete-las nos pontos vermelhos.";
* "Carrega e puxa os elementos para organizar a historia."(nota: "historia" é repetidamente escrito sem acento);
* "Saber contar básicamente.";
* "Move os elementos da esquerda para o bom sitio na tabela de entrada dupla.";
* "Puxa e Larga as peças no bom sitio."(nota: "sitio" nunca é escrito com acento);
* "Com o teclado, escreve o número de pontos que vês nos dados que caêm.";
* "Primeiro, organiza bem os elementos para poder contar-los (...).";
* "Carrega no chapéu para o abrires ou fechares. Debaixo do chapéu, quantas estrelas consegues ver a moverem? Conta attentamente. Carrega na zona em baixo à direita para meter a tua resposta.";
* "Treina a subtracção com um jogo giro. Saber mover o rato, ler números e subtrair-los até 10 para o primeiro nível.";
* "Quando acabas-te, carrega no botão OK ou na tecla Entrada.";
* "Conta quantos elementos estão debaixo do chapéu mágico depois que alguns tenham saído.";
* "Olha para o mágico, ele indica quantas estrelas estão debaixo do seu chapéu mágico. Depois, carrega no chapéu para o abrir. Algumas estrelas fogem. Carrega outra vês no chapéu para o fechares. Deves contar quantas ainda estão debaixo do chapéu.";
* "Lê as instruções que te dão a zona em que está o número a adivinhar. Escreve o número na caixa azul em cima. Tux diz-te se o número é maior ou mais pequeno. Escreve então outro número. A distância entre o Tux e a saída à direita representa quanto longe estás do bom número. Se o Tux estiver acima ou abaixo da saída, quer dizer que o teu número é superior ou inferior ao bom número.";
* "Tens a certeza que queres saír?";
* "Aprende a escrever texto num processador. Este processador é especial em que obriga o uso de estilos (...)";
* "Neste processador podes escrever o texto que quiseres, gravar-lo e continuar-lo mais tarde. Podes estilizar o teu texto utilizando os botões à esquerda. Os quatro primeiros permitem a escolha do estilo da linha em que está o cursor. Os 2 outros com múltiplas escolhas permitem de escolher tipos de documentos e temas coloridos pré-definidos.";
* "Envia a bola nas redes";
* "É preciso saber manipular e carregar nos botões do rato fácilmente.";
* "O objectivo é só de descobrir como se podem criar desenhos bonitos com formas básicas (...)."
* "O objectivo é de fabricar um forma dada com sete peças.";
* "Quando o tangram for dito frequentemente ser antigo, sua existência foi somente verificada em 1800." (nota: explicação do tangram, um quebra-cabeças tradicional chinês);
* "Mexe as peças puxando-las. Carrega o botão direito nelas para as virar. Selecciona uma peça e roda à volta dela para a rodar. Quando a peça pedida estiver feita, o computador vai reconhecer-la (...).";
* "Reproduz na zona vazia a mesma torre que a que está na direita.";
* "Reproduzir a torre na direita no espaço vazio na esquerda.";
* "Puxa e Larga uma peça por vês, de uma pilha a outra, para reproduzir a torre na direita no espaço vazio na esquerda.";
* "Move a pilha inteira para o bico direito, um disco de cada vês."(nota: as quatro últimas frases são as instruções dos jogos "Torres de Hanoi" e Torres de Hanoi simplificadas" - "Hanoi" sem acento no "o");
* "Torno dos brancos";
(nota: a vez de jogar das peças brancas num jogo de xadrez);
* "Joga o joga de estratégia Oware contra o Tux.";

Pelos vistos ainda há mais. Estes são só uns quantos... Sim, estou a bater novamente no ceguinho....
Há mais alguém para lá de mim que já esteja farto deste "remedeia em vez de prevenir"?! É que já cansa!

Como é que esta gente faz os negócios? Não testam os produtos? É à confiança cega? Isto sim, é o verdadeiro choque! Mas não é tecnológico...
Haja competência, uma vez que seja!

E a empresa de software? Puseram quem a escrever? Miudos da quarta classe? Já ouviram falar de dicionários? E de revisores? Não? Está explicado...

E, já agora, onde andam os professores no meio disto tudo? Não repararam? Ou estão tão ocupados com a Maria de Lurdes que o resto é deserto?

E os pais? Compram as coisas e nem se certificam do produto que estão a "incutir" aos filhos?
Já me esquecia, os pais não têm essa obrigação. Nem de os educar. Os professores é que têm, não é?

Continuemos, então...

E o mais problemático disto é que queria escrever sobre a Carolina e vou-me perdendo nestas... "Pérolas" que me distraem de tal.

Olheim, tenhão mazé um bom fim de semana e divirtão-se.
Atenciosamente,

DD.

Quando?

Já faz tempo que um amigo meu (cozinheiro) me disse que "o pior que um cozinheiro pode fazer é repetir o mesmo erro". Que "o primeiro tem sempre desculpa, o segundo é que já não".
Eu creio, cada vez mais, que isso se aplica a todos os campos da vida.
E pergunto quantas vezes tem uma pessoa que bater com a cabeça para aprender?

Assim como há aqueles bonecos que têm sempre uma nuvem sobre eles, com chuva e trovoada, eu - definitivamente - tenho que arranjar uma, mas é com uma mão e um martelo.
Caso esteja na iminência da borrada, é levar com o martelo (de ferro, de preferência) e apagar da cabeça tudo o que estaria prestes a fazer...

Eu sei que "a vida não é um fatalismo". Daí, se calhar, ser melhor ser um martelo de borracha em vez de um pesadão daqueles.

Vá, agora escreve mil vezes no quadro:
- A presunção é a mãe de todas as trapalhadas.

Logo hoje que vinha preparado para dedicar aqui este espacinho à adorável donzela Carolina Salgado. Terá que ficar para amanhã...

Mas como a vida não se pode fazer só destas coisas, aí fica um complemento. Até porque é melhor ir para a caminha com uma certa dose de humor do que com uma nuvem bem carregada...



Qualquer coisa(mente),

DD.


São insónias...

(The clock is ticking...)

Não há nada como um começo de semana (sim, porque a minha começa à Quarta-feira) acordando às 4h30 da manhã e não conseguir adormecer mais - decidi levantar-me 2 horas depois para isto... -, nem mesmo pedindo (ou melhor, suplicando) ao João Pestana que passasse por cá e largasse um pouco daquele pózinho mágico do sono...

O lado "positivo" disto foi que me vinguei do galo - acordei-o!. E será melhor não dizer como. Não é muito dignificante.

Para ajudar à festa, a chuva (pa caramba!) e o vento não auguram nada de esplêndido para este começo de semaine. (Será o furacão?)

Espero que não seja um mau pronuncio para a mudança que vai ser encetada. Tento a todo o custo ver a chuva como algo de renovador, como algo que vem para limpar o que ainda há para limpar.

"E como é sempre melhor começar a semana com música", e porque o video me faz rir, o que vem mesmo a calhar com este tempinho... (Faço já aqui a ressalva que isto é uma vez sem exemplo. Não pretendo dar continuidade a isto de começar a semana com música, pois já há quem o faça - e bem)



Tenham um bom resto de semana. E que, se a chuva vem para ficar, que o frio e o vento não.

Só um aparte. Li recentemente algures na blogosfera que "quem tem um blogue é porque não anda bem com a vida". Li, ainda mais recentemente, que há quem escreva sobre determinados assuntos por falta de uma cara-metade. E eu a dar entrada de um post às 6h30... Qual será a teoria para o meu caso?
São insónias mesmo. Nada mais.

Agora sim, bom resto de semana, se não voltarmos a falar (pois sim, consigo lá eu isso...).

Carinhosamente,

DD.

Nunca! Never! Jamais!


Cliquei hoje na "Exame Expresso" online e deparei com a seguinte pergunta:

"Portugal pode falir?"

A primeira reacção foi, naturalmente, falir financeiramente?

"Claro que não! Alguma vez?!" Ora bolas! Porque haveria de falir. Estamos em mãos seguras. Se houvesse esse problema já tinhamos sido alertados para tal, certo?

Portanto passei a uma análise mais prática mas também com o seu qb de subjectivo.

Se perguntam se Portugal pode falir em termos de valores (morais), a minha resposta é que já faliu faz anos.

Se se refere a cultura, ocorrem-me umas quantas coisas (bem parvas, por sinal). Direi apenas que não comento porque provavelmente seria violentado à paulada, à sapatada e à "peixada" mal pusesse os pés fora de casa (sim, porque este blogue é conhecidíssimo e tem uma legião de leitores...). Portanto a minha resposta a esta eventual questão vai directa para aqui.

Mas se é a nivel político, bem... - e é só uma idéia (a minha, claro) - Acho que nem se pode colocar essa questão porque nem creio que tenha existido algo nesse campo para falir... Mas como só tenho 18 ou 19 anos (estou na dúvida), não posso falar pelo passado.

Mas voltando à confiança que tenho nos homens do leme desta nossa nau, recordo o passado recente para vos tranquilizar.

Se primeiro nos disseram que o furacão "Crise" já tinha passado sem grandes estragos lá bem ao largo da costa, depois nos disseram que o furacão tinha chegado mas ia passar ao lado deste cantinho plantado a beira-mar (li ontem alguém escrever que sempre desejou utilizar este termo, e já agora, eu também) e por fim que afinal sofreu um desvio dos ventos nortenhos e está aí em toda a força e que vai trazer muitas dificuldades é motivo mais que suficiente para...
Hum... Há aqui qualquer coisa no meu argumento que não está a ajudar.

Enquanto houver bola Portugal não falirá - é a minha resposta à pergunta inicial.

Olha, por falar em bola, chuta p'rá frente e logo se vê. Pode ser que o TGV leve, a toda a velocidade, o furacão. Ou uma terceira ponte para o bloquear.

PS: Agora a sério, aqui fica uma pequena idéia para um novo Projecto de Interesse Nacional (vulgo PIN). E que tal mandar abaixo a Assembleia da Républica? Só está a ocupar espaço mesmo. E era demolir em tempo recorde, para não levar muito dinheiro aos contribuintes...


DD

Why So Serious?


Vem isto a respeito de estar a olhar para a minha foto do messenger (que serviu durante o periodo do Carnaval) e lembrar-me que ainda não tinha falado neste senhor.

Para quem não sabe - shame on you! - este é o Joker, a personagem interpretada pelo Heath Ledger no filme "Batman, The Dark Knight".

Foi com este papel que venceu o Oscar para Melhor Actor Secundário, o que, para mim, foi uma tremenda injustiça, visto que foi tão ou mais protagonista que o Batman. E fez um... Papelão!
Merecia, sem dúvida alguma, o Oscar de Melhor Actor Principal. E não digo isto porque faleceu.

Mas assim era a forma de garantir que todos ganhavam a sua estatueta.

Só vos aconselho que, mesmo não gostando deste tipo de filmes, o vejam e atentem ao Joker. É divinal!

E por falar nisso, vou ver o filme hoje.

Aqui fica uma pequena amostra - para ver até ao fim, se faz favor!


Desculpa, Heath, por só me ter lembrado agora de ti. Rest In Peace.


DD
Se por acaso vier a esbarrar com o blog, é favor ler a barra à direita "Porquê?".

Respeitosamente,

DD

Questão pertinente


Mnemosine, diz-me, se faz favor. Pelo que se lê, será o meu espaço de parvoíces um espaço narcisista? Em excesso?


DD