Acerca das férias

Em véspera de regresso ao trabalho recordo aquele momento Monty Python puro no 'Preço Certo'.
 Em pleno palpite de preço de determinado produto e após os 3 primeiros concorrentes terem dado os seus palpites - respectivamente 31, 30 e 27 - o 4º concorrente tenta a sua sorte nos 31€. "Esse já está escolhido", intervem o apresentador.
O concorrente atira então 30€. "Esse também já está escolhido", repete o apresentador.
"Ah, então só pode ser 27€". Não sei o que disse o sr. Mendes porque não lhe prestei atenção.

Sentido de oportunidade jornalístico perfeito

Após a reportagem acerca dos 10 anos passados do "Mães de Bragança", passagem para reportagem sobre o dia dos namorados...
Ó Noya, onde é que andavas tu (já agora - mais pertinente e interessante, diga-se - onde é que tens andado) naquele dia de Verão de 66?

Lembro-me perfeitamente desse dia. A minha mãe pediu-me para ir comprar sabão azul, que já não tinha em casa. "Dove, mãe, Dove! É melhor. É mais macio. Sei que não é tão cheiroso mas faz melhor à pele", disse-lhe, pronunciando as 4 letrinhas num inglês perfeito, querendo mostrar à minha mãe o que andava a aprender na escola e o quão natural me fluía a língua para o inglês.
"Mas que me interessa fazer melhor à pele se eu quero o sabão para tirar a nódoa a esta camisola?", respondeu-me. Com razão devo acrescentar. "Olha, e vai antes ao continente que este supermercado não tem", disse-me.

Ora, fazendo o continente - o hipermercado - parte do vasco da gama - o centro comercial - naquela altura (creio que ainda faz parte) e que este era no parque das nações tive que ir de carro. A pé não dava muito jeito, visto que de carro são 10 minutos.
A verdade é que me atrasei um pouco a regressar a casa. Estava a passar no cinema o 'Beleza Americana'. Já tinha visto o trailer, lido a sinopse e senti-me intrigado e ansioso por vê-lo. Apenas serviu para confirmar a beleza do mesmo (e as 2 repetidas idas - verdade! - reconfirmaram-no). Fiquei apaixonado.
No final, apesar de abismado e pensativo pelo que acabara de ver, não deixei de estranhar o facto de ter sido o único na sala, principalmente por ser a semana de estreia, mas enfim, acabei por não me estender muito nessa preocupação.

A caminho de casa, estranhei os cachecóis nas janelas. "Mas a selecção joga hoje? Não me lembro de ver nada acerca disso..."

Ao chegar a casa fora de tempo, impossibilitando a tarefa de retirar a nódoa das calças, e sem tempo nem hipótese de perguntar o que se passava naquele dia, fui de imediato posto de castigo, impossibilitando-me a saída com os meus amigos à noite. Se havia coisa que sabia era que aquele casaco de malha era importante e com a nódoa, tornava-se inutil, pelo que aceitei o castigo.
Mal sabia eu a sorte que me calhara, pois nessa mesma noite passou na televisão uma das minhas melhores memórias - Crime na Pensão Estrelinha. Herman José e companhia no seu melhor. Nunca mais esquecerei esse dia de Verão.

E o mais curioso disto tudo? Não é que Portugal jogou nessa tarde contra a Coreia do Norte para o mundial de 1966, num dos jogos mais emblemáticos de sempre? Valeu-me a tv por cabo, que me permitiu voltar atrás e ver o jogo. Nunca me esquecerei daquelas camisolas de um vermelho garrido a correrem sobre aquele manto verde lindissimo. Que jogo! Que alegria!
Foi aí que passei a adorar esse jogo chamado futebol. Até aí só gostava mesmo era de soccer.

É melhor levar com um objecto de formato fálico no orifício anal do que estar desempregado

Se o Vítor e o Pedro se estiverem a sentir em baixo, só têm que pegar no video do miúdo que calou a Dra., sorrirem e continuarem a acreditar no caminho em que se encontram, reforçando-o porque o que se viu nos dias seguintes é que a grande maioria exulta o salário mínimo em detrimento do desemprego.

Lembra-te, quando estiveres na merda, só tens que interiorizar que mais vale estar vivo que morto. E sorrir enquanto tens dentes para mostrar... Ainda que valha mais sorrir sem dentes que estar desempregado, acho...

(Creio que podia ficar neste ciclo parvo infinitamente)
Mãe, mãe, porque é que é tão importante ir às aulas de Geografia?

Porque ser ignorante não é nada bonito, filha.

Ervas há muitas

Não estou a querer levantar nenhuma questão pertinente por aí além, nem sequer levantar suspeitas nem polémicas mas seria, por certo, interessante fazer um levantamento das licenciaturas de muitos que por lá andam e andaram. Só posso mesmo imaginar, fanáticos que somos pelo "dr." antes do nome próprio, o circo que sairia daí.

E com esta me vou, pelo meu próprio pé, por motivos não familiares mas pessoais. Por ter que ir dormir, por exemplo.
E após gastar o dinheiro nos 'flocos de neve', o próximo passo passa por pedir um empréstimo à caixa geral para ir 1 ano e meio até às Caraíbas.
Resta saber se para estudar filosofia, se para apanhar sol...

A minha personalidade consumista é que me lixa a vida

A minha grande conquista pessoal para este ano é adquirir 3000€ em rebuçados Flocos de Neve. Só para mim.
Pode ser?


E o 2013, pá?!

Vinha aqui lançado, preparado para destruir tudo à minha volta. A crise e tal, que ia fazer tudo para não me suicidar - hipótese essa que não foi posta de lado - e mais não sei quê (o Natal em termos de noticiários foi realmente devastador, brincadeiras à parte).

Mas por enquanto o sol ainda nasce todos os dias. Até quando permaneceremos sem nos arranjarem um imposto para o usufruto do mesmo não sei.

Por entre um percurso natural de vida, inevitavelemente ocorrerão (in)explicáveis crises, fruto previsível de visões ofuscadas e confusas e incapacidade para ver um futuro mais risonho que servirão para criar tempestades em colheres de café de água. Mas como escrevia, o sol ainda vai dando um ar da sua graça diariamente, mais minuto, menos minuto. E com isso, renova-se diariamente a esperança, crença, disposição, o que se queira chamar.
Talvez porque se pare para reflectir, pegando no sentido tão subjectivo da vida - o tanto ou tão pouco sentido que ela faz - se chegue à conclusão que o que importa mesmo é vivê-la com e para quem a faz por merecê-la.
Talvez esteja na hora de voltar a dar o devido valor ao amor, do que representa e o que realmente representam as pessoas mais queridas na vida de cada um.

Sei que não tenho estado tão presente mas continuo por aí. E espero que corra tudo pelo melhor. Vocês sabem a quem (o Benfica incluído). Em especial a 2 pessoas que conheci na blogosfera.
Uma delas no ano que passou e que está a meu lado. Gabo-lhe a paciência e a beleza da pessoa que é.
A outra, que já vai para 3 anos que nos conhecemos, a quem vejo com o maior dos carinhos e em quem acredito tanto.
É isto que a blogosfera faz, encontram-se pessoas fantásticas. Mesmo quando não as conhecemos olhos nos olhos. E que nos tornam infinitamente maiores e mais interessantes.
O meu obrigado a quem tive o privilégio de trocar tantas ideias.

É difícil estar para aqui com idealismos, com os maiores optimismos, eu sei. Mais a mais quando vivemos a situação que vivemos e com tudo o que está ao virar da esquina, mas que fazer?
Suicídio?
E se não resultar? Sobrecarrega-se o SNS. Não dá!

Abraços e beijos.



(Às mães - e pais)

A infelicidade de uns é a pobreza de outros

A confusão que me faz pessoas supostamente inteligentes (para além da responsabilidade dos cargos que ocupam) admitirem este tipo de coisas.

(E os juros a pagar...?)
José Seguro fala - e finge que não apoiou o (des)governo do Zé;
Passos Coelho não lhe olha (presumo que esteja a pensar na vida);
Vitor Gaspar tecla no seu portátil (é multifacetado...);
Paulo Portas dedica a atenção dos seus dedos - e dos ouvidos, certamente - ao seu telemóvel (é só multifacetados);

Dou-lhes crédito, serem capazes de manterem os olhos abertos após 2h de almoço.

(Adenda)
Luis Montenegro é claramente um poeta. Só faltou sair em ombros...
Creio que só o futebol (e com "ele" o futebolês) consegue distrair as massas. O EuroMilhões só serve para apelar aos sonhos de muita gente - quem realmente ajudaria os amigos ou quem investiria no benfica é coisa que só ganhando se saberia - e pouco mais há a reter disto tudo.

No entanto, oiço um senhor - ex-árbitro e bem falante por sinal - que me faz recuar ao tempo em que o Chiano ainda só sonhava ser futebolista e onde em cada jogador havia sempre uma calinada pronta a fazer as delícias dos felizes contemplados. Hoje em dia porventura também continuarão por aí (o JJ não conta) mas já não há gente com tempo ou atenta o suficiente para as apanhar e partilhar.

"Há uma mão deliberada na bola, agora se é intencional ou não..."

Não estava atento. A tv estava a funcionar como ruído de fundo.
Sim, consigo captar pelo menos 2 coisas ao mesmo tempo. Só não sei se é um acto deliberado ou intencional.

Fiquem bem (eu preocupo-me tanto convosco, meus caros concidadãos e amigos).
Distribuam sorrisos e comprem carros, sim? Faz bem à economia e à pele.
Caros amigos,

espero que não se encontrem muito mal.

Há demasiado tempo que não durmo convenientemente. Adormeço a muito custo - somente vencido pelo cansaço de um longo dia e de uma noite já de si pesada. - e acordo encharcado em suores vários (felizmente não cheira a cebola).
Não sei bem como vos dizer isto que me assola o pensamento constantemente, que me martela a cabeça a toda a hora, que me apunhala este mui frágil coração. Não sei, principalmente por falta de coragem e mais ainda por uma imensa vergonha.
Não consigo encarar-vos de frente, olhos nos olhos, meus amigos. Este é o meu único refúgio. É a minha ponte movediça que posso, a meu gosto e vontade, afastar de pé para que não me possam alcançar, tão somente me possam apontar o dedo. E atirarem-me pedras na tentativa de alcançarem a minha posição.
É portanto a partir deste posto que vos peço, do fundo do meu coração, as minhas mais profundas desculpas por ter vivido acima das minhas possibilidades e com isso, estar a sobrecarregar-vos com tantas medidas austeras.

É só.

PS: Acho que à boa maneira americana, vou pedir uma idemnização ao Pedro, ao José, ao Manuel, ao António e ao Aníbal pela depressão que tenho e pela incapacidade de ver/prever o futuro. 1 milhão à cabeça para me fazer sair do buraco será muito?