A Armada dos Burros e dos Incompetentes.

De vez em quando há que interromper as parvoíces e brincadeiras para dar espaço a coisas mais sérias. Desde já faço a ressalva de que me era totalmente desconhecido e anuncio aqui a minha ignorância perante o caso, até porque isto já é uma "guerra" que se verifica desde o ano passado.

Desde que se fala nisto que pensei que para um professor chumbar um aluno seu era uma carga de trabalhos pelo simples facto de incluir relatórios atrás de relatórios e justificações atrás de justificações. Já para não falar das potenciais ameaças - concretizadas ou não.
Mas não, venho hoje a saber - por quem vive dentro das situações - que afinal é uma carga de trabalhos para o professor porque o seu desempenho é também avaliado pelas notas que distruibui aos seus alunos. Ou seja, se um aluno de 0 a 20 merecer um 5, o professor com toda a naturalidade dará - haja coragem para o não fazer e creio que no caso específico será mediante o que os alunos realmente merecem - no mínimo um 10 para não se auto-prejudicar.

"As metas da UE têm que ser cumpridas...". Normas essas que só podem querer dizer uma coisa - que estão a ser criadas condições mais que vantajosas para criarmos fornadas após fornadas de burros, incompetentes e gente que não saberá o que é penar, o que siginificará a palavra 'esforço', e que quando chegarem ao momento da verdade se virarão para os céus e procurarão respostas a quem não as pode dar...
Estamos a criar as condições necessárias para perpetuarmos o clássico "alguém que faça...".

Podia dizer que me sinto chocado, mas não. Podia dizer que me sinto envergonhado, mas também é coisa que não sinto. Talvez indiferença seja algo que já comece a sentir... E ignorante por só agora ter tomado conhecimento de tal facto.

17 comentários:

Pronúncia disse...

Já sabia disto.

E sim, tens toda a razão.
É o que se chama a Imposição das estatísticas, para que se cumpram, nivela-se tudo por baixo, há facilitismo, falta de rigor... o País vai pagar cara esta política, aliás, já a está a começar a pagar. Não esqueças que é este pessoal que dentro de 10/15 anos vão decidir os destinos dos portugueses.

E assim vai o rectângulo...

João Cacelas disse...

Tem que se trabalhar para a estatística, 13...

Maria...ia disse...

E acredita que nas universidades se passa o mesmo, pelo menos naquela em que dei aulas... Ser-se professor é viver no fio da navalha. Portanto, a ignorância-mestra está mais perto do que qualquer pesadelo... No qual acredito estarmos já a viver.

;)

Ana GG disse...

Eu tenho coragem!
Não consigo dar uma nota sem o aluno a merecer, é mais forte do que eu.
Este ano, por exemplo, tenho 2 turmas de 9º que no ano passado tiveram uma média de 10% de níveis 3, ou seja, a minha colega deu quase só 4 e 5. Fiz-lhes um teste diagnóstico de 7º ano, no início e pareciam "burros a olhar para um palácio". Por isso, vou dar algumas negativas, com toda a certeza. Que se lixem as estatísticas e que se lixe a avaliação.
Nota: Este ano, contra a minha vontade, sou avaliadora!

E assim vai o ensino...

Sara non c'e disse...

Já tinha conhecimento e é vergonhoso... Isso e o sistema de quotas, em que um professor só pode dar x 20, x 15, x negas... uma (a)normalização do que não pode ser normalizado.. depois admiram-se que os n+iveis de ensino sejam cada vez mais baixos...

Ana GG disse...

Sara

Sistema de quotas para as notas!?????

13 disse...

Pronúncia,
daqui para a frente é sempre a descer... É sem travões!

13 disse...

João,
estão no bom caminho...

13 disse...

Maria,
sem dúvida que já o estamos a viver. Nas universidades é que me espanta, mas vendo bem, há que jogar para as estatísticas e para a bolsa...

13 disse...

Ana,
e acho muito bem! Assim é que deve ser. Mas não acredito que seja o caso da maioria...
Este meu amigo o ano passado teve uma avaliadora que não percebia nada do que ele lecciona e deu-lhe um 0 (zero) por esse motivo, por não saber se ele estava a dar bem ou não a matéria... Ridículo!

13 disse...

Sara,
e mediante as directorias das escolas, há quem tenha como objectivo baixar percentualmente de ano para ano o número de negas. Mas essa das quotas também é boa :s

Moyle disse...

as manifestações não eram apenas (acho que apenas residualmente para muitos) contra a avaliação e o ecd e má vontade contra a ministra da educação. muitos estavam lá por se estarem a aperceber do rumo que as coisas tomaram. ou seja, este que descreves.

tronxa disse...

nao sabias pk nao tens filhos na escola...

senao ja tinhas percebido como as coisas funcionam...

andei 3 anos consecutivos a pedir para chumbarem o meu filho, e só no 8º ano o fizeram... resultado, quando os chumbam ja eles sao burros a olharem para palacios!

enfim...

enquanto houverem cursos tecnicos de futebol com ekivalencia ao 9º ano... ta tudo safo!!

bjnhsss

Ana GG disse...

13

Acho essa história muito estranha, os avaliadores, não avaliam a componente científica. Os professores podem requerer um avaliador (ainda que externo) da sua área disciplinar.

Sabes que mais, acho que se fala muito à toa. Mas não ponho as mãos no fogo por ninguém, quem sabe...talvez aconteçam todos esses exageros de que falas.

Não defendo esta forma de avaliação, mas defendo a avaliação. É que se vê cada coisa que é mesmo de bradar aos céus...

13 disse...

Moyle,
pois, é o que dá não ver tv... Mas é sempre mais giro crescer nas estatísticas...

13 disse...

Tronxa,
haja alguém que não vá ameaçar os professores de "porrada"! :)

Pode ser que se safe na bola...

Bjs.

13 disse...

Ana,
tanto aconteceu que ele falou com a colega e levou precisamente essa resposta. Posso ter percebido mal - e obviamente que ele não ia inventar uma história destas - e não ser esse tipo de avaliação, mas não creio que haja outra...

Claro que sou a favor da avaliação - é ridículo só agora se ter chegado aí - mas totalmente contra a avaliação feita por elementos externos à cadeira. Não faz sentido!