1.469

Primeiro foi o Mundial. Depois o Queiroz (ou Queirós). A crise, o TGV, o bom ou mau tempo (desde 1800 e qualquer coisa que não fazia tanto calor ou chovia tanto), o Mundial 2018, a má forma do Benfica, o FMI, as fugas do outro maluco e ultimamente o desaparecimento do Noya. Não se fala de outra coisa. Ou melhor, não se falava. Agora é o tornado. Entretanto não há-de faltar muito para as reportagens de Natal e paz e amor no mundo inteiro e o ser humano é extraordinário e por aí adiante. Depois há-de ser qualquer coisa. Talvez se fale do acidente do Noya que se espeta com o carro da frente quando se distrai ao passar ao lado da estação de serviço e repara que está somente a 3 cêntimos de pagar 1.5€ por litro de gasolina...

8 comentários:

Cirrus disse...

Já não estás a 3 cêntimos...

:D

Pronúncia disse...

Vê pelo lado positivo... durante uns tempos não vais ter que meter gasolina no carro.

Bom domingo :)

Johnny disse...

Por esse preço já dá para comprar um daqueles gorros como os ladrões usam e uma pistola de imitação (como os ladrões usam?) nos chineses. Depois.... é atestar de borla.

Noya disse...

Cirrus,
pois, já vi...

Noya disse...

Pronúncia,
tenho que pôr... De 2 em 2 semanas. O que não é nada mau :)

Noya disse...

Johnny,
parece-me que percebes do assunto... Que tal foi contigo?

Johnny disse...

Eu é mais gasóleo...

Cirrus disse...

Eu é que é mais gasóleo!...

:D