A eterna questão.

Passas os dias a queixar-te.
Que não compreendem nem sequer reparam naquilo que fazem e que padrões de exigência é algo que desconhecem.
Que ninguém se importa e que a liderança é nula.
Que poderias dar a volta àquilo, quanto mais não seja em termos de atitude, organização, planificação e execução.
Que dali não vais sacar (praticamente) nada nem sequer evoluir e pior que isso é que não percebem, de uma ponta à outra, o porquê de certas coisas (não) acontecerem.
Que se pudesses já tinhas disparado numas quantas direcções, saturado que estás.

E então quando te se apresenta algo que já tinhas consciencializado não ser possivel concretizar-se e deixado para trás, saído do nada, que implica responsabilidade e dar a cara, que te vai colocar uma venda nos olhos e dizer-te para saltar sem saberes se cais amparado, em que acreditas mas que receias e que te pode projectar ou enterrar por completo? O que é que vais fazer?


Adenda: Aceitas.

7 comentários:

Cirrus disse...

Saltar de cabeça! Dos fracos não reza a história! E valores não se trocam por nada.

Princesa Destilada disse...

Muita, muita sorte! Quando se acredita, mesmo, avança-se sempre. Só os tolos não têm medo. Mas o medo pode ser usado para nos preparermos melhor, antecipar obstáculos e, assim, enfrentar as dificuldades eventuais com maior sucesso. Sucesso!! :)

Dylan disse...

Se estiver ciente das minhas capacidades, aceito!

Dylan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Noya disse...

Cirrus,
pois, é isso que o gajo que escreveu isto quer. A ver se é desta.

Noya disse...

Princesa,
obrigado :)

Noya disse...

Dylan,
e fazes muito bem.