Os meus timmings sempre foram, são e serão, do ponto de vista do pensamento/acção, "perfeitos".

Tens que te levantar cedo (não tão cedo como vós, madrugadores) na manhã seguinte, mas uma vez que a final começa às 23h (não sei onde fui buscar esta referência... Adiante!), visto que demora umas 3h, é calmo. Estás dentro do horário mínimo permitido.

23h e passa o resumo das meias. "Deve ser à meia-noite...".
Às 0h02 (a precisão é um detalhe importante) a emissão acaba. "Ah, claro!, não me lembro se foi há 2 ou 3 anos mas parece que a final foi às 3 da manhã. Deve ser o caso. Vá, 2 sets e cama. Até pode ser que dê para ver 3. Vais estar lindo no dia seguinte, vais..."

2h47 e passam as fantásticas características de um slicer qualquer que faz maravilhas e que vai deixar os seus convidados de boca aberta, isto para não falar da sua vida bem mais facilitada em que terá mais tempo para se dedicar a tudo menos à cozinha, o que implica obrigatoriamente um estado de felicidade mais elevado. Caso contrário deves comprar na mesma, porque sim, porque os apresentadores têm um sorriso pepsodent que eliminaram qualquer vestígio de sono que eu tinha. 2h49... "Talvez seja melhor ligar o computador para ver a programação".

2h53 e nada! Nada?! Onde está a final?? Transmitem o torneio e chegam à final e dão em diferido?! (acrescentar um bom punhado de asneiras e queixumes à bom português).
Viro-me para o site oficial. Final adiada devido à chuva que caiu o dia inteiro. Brilhante! Não podias ter-te lembrado disto antes? 2 horas antes?

O despertador toca (por algum motivo "oiço" "Eu paguei impostos!" com tom de felicidade que me deixa perplexo e que de imediato me faz pensar que de facto os meus sonhos são altamente estranhos) e sinto o peso da incapacidade de pensar bem sobre as coisas.

Doloroso...
Não tem importância. Logo deito-me mal chegue e recupero o tempo perdido.
Ambos sabemos que é mentira.


(E o Nadal deverá fazer história mais logo)

3 comentários:

Moyle disse...

não vi. o Federer caiu e eu não vi...

Noya disse...

O Federer caiu mais por culpa própria do que propriamente por mérito do Djokovic. Ou isso ou sou eu que não quero ver a realidade.

Moyle disse...

pois, compreendo perfeitamente