Olha a recarga!

E aí estão eles de volta! Novamente o casamento entre as portuguesas e os muçulmanos a vir à baila. Desta vez pela voz – e que voz (medo!) – do D. José Saraiva Martins. Mas afinal o que se passa? Estará a igreja católica na tentativa de recuperar protagonismo, bombardeando (ups...) assim os pobres coitados? Ou não há mais nada para falar?
(Há, os casamentos homossexuais, mas isso fica para amanhã.)

Cá para mim esta malta foi somente alimentada a chamuças quando eram mais pequenos e enjoaram... Ou então quando se portavam mal levavam com caril na lingua e recalcaram.
"- Zézinho, ou comes a hostia ou levas com a chamuça!"

Então não é que o senhor manifestou estar “de acordo que é preciso muita cautela e muita prudência" no que toca ao “monte de sarilhos que representa o casamento com muçulmanos”.
Justificando que “é absolutamente necessário que antes de uma senhora casar com um muçulmano, tenha a certeza de que vai poder continuar depois do matrimónio a professar a sua fé cristã”.

Ora nem mais! Não só indica que as mulheres são burras e mentalmente incompetentes como apenas faz menção ao facto de não ser aconselhável devido à perda de “praticantes”. Percebo agora porque não criticam os portugueses (homens) que agridem as respectivas esposas... Desde que estas mantenham a sua fé e a ida à igreja, tudo bem! Ora lá terá a mesma opinião que eu neste campo, se as mulheres levam tareia é porque merecem. Alguma fizeram... E posto isto não se discute mais!

Mas não se conseguindo deter alertou o mulherio para que “tenha a certeza de que vai poder decidir o tipo de educação a dar aos próprios filhos" e que "não casem com muçulmanos" caso não obtenham essa mesma certeza.

Pois sim, senhor, está muito bem pensado e melhor dito. Mais uma vez, todo o meu apoio! Com os conhecimentos actuais que temos acerca dos malefícios do colestrol e as estatísticas indicativas acerca da obesidade infantil, não faltava mais nada que alimentar os filhos a fritos e especiarias... Além de tudo o resto, ainda é nutricionista. (Palmas!)

Só que o verdadeiro motivo para este alerta não foram os acima apontados. Ou pelo menos o principal. Eu estava lá! Não vou citar mas partilho convosco que teve tão somente a ver com o receio de que com a nova "cozinha", as senhoras passassem a levar consigo o exótico cheiro condimentado para as igrejas. E também ganhassem o hábito de se descalçarem. A mistura dos dois seria demolidora. E vocês sabem como os cheiros se entranham em tudo quanto é sítio. E o quanto é dificil de o eliminar... Se não sabem, casem com um muçulmano.

Diz que a flatulência também não é nada aromática...

Vendo bem, após a minha análise, só acho injusto e imprudente que alertem só as mulheres. Porque é que não acautelam eles o macho português? Tem que haver uma explicação. Vou pensar nisso e depois digo-vos.

E aí está. Agora ide, sem polémicas, que o Zé até nem foi nada mal intencionado. É um querido!


DD

2 comentários:

Gingerbread Girl disse...

LOL

Tá muito bem analisada a situação... tá sim senhor.=p


E tens razão... os homens deviam ter cautela ao casar com muçulmanas! =|

Ah pera... como a mulher pelo ponto de vista da igreja católica tem de subjugar ao homem... acho que não há problema... pois. Pois... deve ser isso.


*thinks*

Starrydots disse...

Estava em Portugal quando isso passou na telvisão. Eu fico parva, a sério que fico.
Devia de ter falado sim senhor para os homens e também sobre as outras religiões.
Pela lógica, não é?