Essa do "se eu que ando nisto há anos não consigo, és tu que vais conseguir?" tem muito que se lhe diga. Por esta altura ainda estariamos a lascar pedra para caçar.


(Já sei, Maya, mudar. Por hábito é o que acontece. Pela calada...)

11 comentários:

Maya disse...

Ai, não percebi ...

[estou um bocado lentita ... calor ... :)]

Noya disse...

Eu e os meus enigmas :) (é mais do mesmo, nada de mais)

Cirrus disse...

Já dizia o meu avô que a antiguidade é um posto! Olha que pelo que vejo nos reformados deste país, que agora tomaram conta desta merda toda, era bem capaz de ter razão!!

Noya disse...

Cirrus,
por vezes nem sei que diga. No meu ramo de trabalho (presumo que o seja em todos ou quase) os egos têm tanto de grandeza como de fragilidade. Há que dominar a arte da graxa (e logo eu que não tenho jeito nenhum para isso)

Cirrus disse...

Noya, pá, ser um graxa tem vantagens imediatas. Mas olha que já vi quedas muito grandes e nunca foram de outros que não graxas...

Maya disse...

Ah, pronto, então estás rodeado de dinossauros. Pá, tens de ser mais esperto (porque inteligente, já deves ser) e subtil que eles.

[de manhã, as coisas fazem outro sentido]

Dora disse...

É isso e "se não mudei por ninguém, não é por ti que vou mudar"!

Noya disse...

Maya,
só se fores contigo porque comigo nada faz sentido de manhã (tirando uma ou outra coisa). Só umas boas horas após é que as coisas começam a funcionar na zona cinzenta.

(Faltam-me ambas... :))

Noya disse...

Dora,
isso é outra questão (uma grande questão).

Moyle disse...

até à Idade Média não se colocava essa questão porque com esperanças médias de vida a rondar os 35 anos, poucos haveria que tivessem a oportunidade de pronunciar tal alarvidade.

Noya disse...

Moyle,
pois agora já a possibilidade de alguém 50 a pronunciar...