Fui ver (finalmente) o The Imaginarium of Dr. Parnassus.
Fabuloso (e fantasioso) trailer. Dei comigo a acreditar num filme para lá de criativo e a puxar pelo imaginário.
Não o foi. O filme fica aquém daquilo que faz prever.
É daqueles filmes que se sai com a sensação que falta, definitivamente, algo. Talvez tenha nessa justificação a morte do Heath Ledger e o realizador não tenha tido como dar a volta. Mas que falta substância, falta.


E no fim ainda fiquei para perceber se assisti ao filme no cinema ou na TVI...
Já nem falo nesta medida de introduzirem um intervalo a meio, mas o facto de ter levado com 10 (verdade!) minutos de publicidade antes do filme começar fez-me, para além de esfregar os olhos de tanto aborrecimento, questionar o porquê de eu estar ali.
Só me pergunto é como é que ainda não se lembraram de passar também publicidade no intervalo...


Estão a matar o cinema. E já nem as pipocas doces ajudam a atenuar o efeito...

7 comentários:

Moyle disse...

a publicidade no início é a minha melhor amiga, porque eu não consigo chegar a horas a lado nenhum, e o intervalo, bem contabilizado, dá para ir fumar (pelo menos cá que as portas das esplanadas na rua são perto). não me queixo muito :)

Cirrus disse...

Não vou opinar sobre o filme, não o vi. Depois do que disseste, duvido que o veja.
Mas... uma questão, para mim, é pertinente... Não foi com as pipocas doces que se começou a matar o cinema??

Noya disse...

Moyle,
isto agora de não serem lugares marcados é uma treta. E os que estão lá a horas é que se lixam... :)

Mas para o cigarro há poucos onde consegues aproveitar o tempo.

Noya disse...

Cirrus,
nada disso! O que lixou o cinema foram os putos...

Cirrus disse...

...E com os energúmenos que insistem em chupar a Coca-Cola depois de ela ter acabado?... É que essas duas coisas são aquelas que me afastam das salas. O resto é treta.

Noya disse...

Cirrus,
vendo bem, o esgravatar o pacote para sacar pipocas também é um som deveras... Traquilizante.

LBJ disse...

Eu gostei, Gosto do conceito de disputar almas com o diabo. Não sei o que falta ao filme, os filmes do Terry Gilliam têm sempre qualquer coisa que só ele percebe :)

Abraço