Passar ou não a mensagem...

... eis a questão que ficou desfeita, se é que a havia.

Ao invés de responder aos caríssimos comentadores, um a um (à excepção do johnny - e do LBJ à última da hora - que, se a minha inteligência não me atraiçoou, responderam dentro do espírito da coisa), do texto anterior no devido sítio, achei ser esta a melhor forma de o fazer, isto é, dedicar este meu tempo precioso (hum, hum...) com quem o merece e quem merece, com toda a certeza, resposta em jeito de post.

Eu bem que tentei, mas quando a opinião geral joga contra mim, tenho que reconhecer (publicamente) que não sou - ou fui - capaz de o fazer.

Tentando aplicar ao texto um certo humor perante o "fatalismo" da "guerra dos sexos", ao mesmo tempo que chamava o filme 'Idade do Gelo" à baila e o quão divertido foi assistir ao mesmo, vi-me encalhado numa encruzilhada - esta sim - fatal. E que melhor exemplo do encantamento relativamente ao sexo oposto pode ser dado que o do pobre Scrat?

O objectivo passava por divertir-me e, quem soubesse, divertir.
Melhores tempos - ou textos - virão.

Espero que não se importem de responder-vos desta forma em vez de o fazer na caixa de comentários.
Vá, agora idem dormir (ou almoçar ou lanchar ou jantar, dependendo da hora a que cheguem aqui) descansados que apesar de muita coisa, o meu estado de espírito ainda está aí para as curvas...

PS: Ainda assim, mantenho a vontade de mudar um pouco o padrão de contexto neste espaço. Há que treinar e tentar e errar e por aí fora...

15 comentários:

GiGi disse...

O humor está no vídeo, mas não no texto! Por outro lado, não acho que o que você escreveu ficou com um ar pessimista ou fatalista. Só acho que ficou sério demais. Mas, é o seu jeito, oras! Não tem o que mudar, a não ser que queira muito.

Também acho que meu comentário anterior ficou sério. Vou me esforçar para ser mais descontraída nas próximas vezes :-)

Poxa, eu podia ter assistido este filme ontem e não o fiz. Você é a segunda pessoa que diz que é muito divertido. Infelizmente, eu não estava inspirada para vê-lo, eheheh. Quem sabe, noutro dia.

Beijinhos!

Pronúncia disse...

Treze, mantenho o comentário anterior. Seja lá em que guerra for, a dos sexos incluída, se partires com a certeza da derrota, podes ter a certeza que é o que vai acontecer a maior parte das vezes.

Contra os "olhinhos" e outras "armas", usa as tuas... de certeza que as tens! Todos temos ;D

Treze disse...

GiGi,

pois... Daí ter referido que tentei mas não consegui :) A ver se da próxima não sai tão "sério" :)

O filme é realmente muito divertido. Aconselho (se for possível) a versão original.

Treze disse...

Pronúncia,

talvez o deslize tenha estado no uso das palavras "guerra" e "derrota".
Na realidade nem é um texto particularmente pessoal. Creio que é só a minha opinião em relação ao "poder" que vocês têm...

Digo-te o mesmo que disse à GiGi: a ver se para a próxima é melhor :)

GiGi disse...

Obrigada pela recomendação!

Embora, a dublagem feita aqui no Brasil para este tipo de filme é excelente, até vale a pena. Pois, deste modo, se presta mais atenção às cenas ao invés de ler as legendas, eheheh. Ainda se eu manjasse de inglês... LOL

Beijinhos!

João Cacelas disse...

Caro Treze, para ser sincero, não concordo em nada com a maioria (exceptuando o Johnny e LBJ) do que te escreveram no post anterior.
O texto é um óptimo complemento ao vídeo e funciona muito bem. Não vejo onde seja derrotista ou pessimista, mas tudo bem. Apenas fala da "guerra dos sexos", aquela que nós, homens estamos destinados a perder para as mulheres. Mesmo que pensemos estar em vantagem, nunca estamos, nunca passa de ilusão. Os tais "olhinhos", vozes meigas e demais "armas" que elas têm acabam sempre por nos vencer. :)
Talvez porque se tratem de mulheres e porque não se apercebem (ou fingem não se aperceber) desse tal poder invisível que exercem sobre nós (homens)tenham pensado que estavas desolado com algo e não tenham alcançado o "busílis" da questão. :)
Tentar divertir-te e divertir os outros é tarefa complicada. Eu que o diga. Nem sempre (ou quase nunca) se agrada a todos, mas, diverte-te a ti que isso é o que mais interessa. Eu diverti-me ao ler-te, tal como o faço sempre.
Desculpa lá o atraso. ;)

francis disse...

vou almoçar, obrigado.
como não aompanhei a cena, abstenho-me de comentar.

Gingerbread Girl disse...

Ah bem, sendo assim...
Ainda bem que li o outro antes de ler este... mas também achei o texto sério e fatalista. =\

Muda os padrões de contexto quantas vezes quiseres... eu gosto de ser surpreendida. =p

E agora vou almoçar...

cólicença*

Treze disse...

João,

estás desculpado :)

E já agora, belo complemento ao texto. E obrigado pela parte que me toca :)

Começo a ver que afinal são só as "moçoilas" que vêem o outro "lado"...

Treze disse...

francis,

não há problema, é só leres o texto anterior e leres os comentários :) (seria bom ver qual a tua interpretação).

Pronúncia disse...

Treze, Treze, quer-me parecer que estás a querer arranjar uma "guerra" com as moçoilas ;D

Treze disse...

Ginger,

logo tu, uma moça tão open-mind, tão dada a estas brincadeiras (digo eu)... A ver se "(re)apareço" ;) Fatalismos é que não (só muito de vez em quando).

Faxavôr :)

Treze disse...

Pronúncia,

eu? Guerras com as moçoilas? Nunca! Para as mulheres é só flores... :D

Gingerbread Girl disse...

Mauuuuu...

Ora deixa-me cá ler o texto novo.

E eu não acredito que usaste um estrangeirismo! :o
ah ah ah!! Gotcha! =p

Treze disse...

Ginger,

You really got me :)