Lição de humildade

Não é português de gema - é congolês - mas é como se fosse, pois já está cá desde pequenino e usa as palavras (ou o ego) tão tipicamente como um qualquer português.

E digo isto porque ao tuga não basta fazer as coisas, há que realçá-las como ninguém. E à falta de um espelho imparcial, há sempre um jornalista ou reporter que esmiúça o egozinho, ansioso por saltar cá para fora.

Vem isto a respeito da pergunta de um jornalista a Bosingwa acerca do jogo em Nou Camp e mais especificamente do duelo directo deste com Messi:

«Bosingwa revelou o segredo: "A chave para parar o Messi? Estudei os seus movimentos um dia inteiro, em vídeo, e mostrei às pessoas que se pode travá-lo sem lhe dar pontapés."»

Fui só eu que vi ou o Messi sempre que pegava na bola o Bosingwa não sabia o que fazer? Se calhar fui só eu.

É por estas e por outras que somos sempre os melhores e quando chega a altura acontece o oposto...

3 comentários:

Moyle disse...

raios, não vi do jogo (o que espero corrigir depois de amanhã) senão uns minutos e vi, precisamente, o José do Congo a arrear lambada no Messi:)

Treze disse...

:D

Ainda apanhaste a parte boa do jogo.

Pronúncia disse...

Não vi o jogo!

Mas concordo com a tua frase final. Somos sempre bons antes, mas depois outro galo canta... já vi essa estória tantas vezes!

;)