Ora embrulhem (tomem) lá esta!

O meu chefe (fez 1 ano há pouco que entrou) tinha umas quantas expressões, digamos... Idiossincrásicas.

A primeira com que "apareceu", ou melhor, que se fez notar (porque foram todas ao mesmo tempo) foi uma forma de reagir a algo que o apanhasse de surpresa assim que a vislumbrasse. Era algo do género: «Eehhh! Isso é muito!». Este "muito" era algo acentuado. O "Eh" era parecido com o Helloooo! do Seinfeld (peço desculpa a quem não sabe do que se trata mas é a única forma que encontrei de explicar - há sempre o Youtube para elucidar...).

O que se passou foi que o meu chefe deixou de a aplicar quando eu num acto de estupidez instintiva - e não de coragem ou chico-espertismo - fiz o mesmo à frente dele. Eu costumava imitá-lo (e infelizmente) bem mas sempre longe da vista e audição dele. Tornou-se tão habitual em mim que nem dei por ele quando o fiz. E o pior é que tinha um colega bem à minha frente que estava de costas para ele e se riu a bom rir (mas disfarçado) para mim. E eu completamente encavacado ao reparar na presença do boss. Não me disse nada. Acho que ficou mais envergonhado que eu.
Desde aí, como que por magia, deixou de ter aquela reacção.

Outra que o meu chefe tinha - esta mais pancada que outra coisa - era passar pelas pessoas e perguntar-lhes algo como "Diga, diga?" sem que a pessoa tivesse sequer falado ou reagido à sua presença.
O mesmo colega contou-me isso e não acreditei.
O meu chefe deixou de o fazer a partir do momento em que o fez a esse colega à minha frente.
Em mais um acto de estupidez parti-me a rir. Foi de sem querer (juro!).
Sem consequências, aparentemente, até hoje.

A última de que abdicou foi de chamar "ponta-de-lança" a pessoas de determinada faixa etária. Porquê? Ora como é óbvio, começámos a utilizar essa expressão uns para os outros...

E porquê este engonha? É para chegar ao título.

Desde o início que tem uma expressão que passou despercebida por causa das anteriores.

Parece que não consta da linguagem dele mais nenhum verbo para além do "Embrulhar".
E passo a explicar, exemplificando com frases e traduzindo-as, entre parênteses, através do Dicionário Chefe-Português.

- "Embrulha-me (Passa-me) aí um pão". (Neste caso, embrulhei de facto o pão num guardanapo. Calhou...)
- "Embrulha (Junta) isto àquilo."
- "Pode embrulhar (levar)."
- Eles estão a embrulhar (comer) bem."
- "Não vais embrulhar (almoçar/jantar - dependendo da hora)?"
- "Embrulha (Assina) aí." (Referência para o recibo do ordenado)
- " Por esta altura está a embrulhar (fazer amor - ou foder, não sei...) a garina"

E há mais. Mas não me ocorrem de momento. Nem é preciso. Creio que a ideia foi transmitida.

Está visto que temos que dar uma força a ver se volta a falar Português...

Mas faço a devida ressalva.
É uma pessoa a quem, sinceramente, não posso apontar o dedo, mas que tem pancadas como toda a gente e mais exposto - pela posição que ocupa - que todos os outros.
Claro que os outros não têm "piada" em quantidade suficiente - excepto os pontapés no Português (nem a propósito, ontem ouvi "Almorródias") - para poder expôr aqui com tanto pormenor como exponho o meu boss.

Bom... E agora vou embrulhar este post e embrulhar o computador. E a seguir vou embrulhar um belo soninho.

Bons embrulhos. O que quer que isso signifique...

2 comentários:

Gingerbread Girl disse...

Helloooooooooo... bom dia!

Acabei de embrulhar uma taça de cereais ao pequeno almoço...

Diga, diga?

Cereais!!!


**

Treze disse...

Tu estás lá! :D