Tacinha

Não, não vou falar do jogo de ontem. Bem, talvez um bocadinho. Lá mais para o fim.

Mas o que me captou mesmo a atenção foi o pré-jogo, ou seja, a dita reportagem de "rua", fora do estádio. Foi a única coisa que vi em directo do jogo.
Fui de certa forma obrigado a ver. Era o que estava a dar. E porque é que simplesmente não deixei de ver ou mudei de canal?

Porque estas cenas são aquelas que fazem com que não me sinta o ser mais estúpido à face da terra. As perguntas dos repórteres de rua são sempre desinteressantes e completamente estúpidas. Se bem que fazer perguntas a transeuntes não seria de esperar que me falassem acerca do sentido da vida...

As perguntas eram quase sempre as mesmas, variando somente perante as respostas. A primeira e última perguntas, essas pelo menos eram sempre as mesmas para todos. Esta foi a primeira de 5 ou 6 que apanhei enquanto pude.

(Adepto com cachecol do Sporting, vindo de Lisboa)

Repórter: "Então o que é preciso para o seu Sporting levar a melhor sobre o Benfica?" (Brilhante pergunta, com todo o sentido prático - que nunca me lembraria de perguntar - e à qual desejo ardentemente saber a resposta para além do óbvio: Marcar mais que o adversário...)
Adepto: "Tem que encher mais o campo que o Benfica" (Oh lá! Por esta não esperava eu. Nem o repórter. Um filósofo do futebol - mais um...);

R: "O que quer dizer com isso de «encher mais o campo que o adversário»?"
A: "Então... Movimentar-se melhor nas quatro linhas, trocar melhor a bola..." (Ah... E a montanha pariu um gatinho... A expectativa é lixada!)

R: "E acredita no seu Sporting para levar de vencida o Benfica?" (Com licença: Então mas olha lá, o homenzinho comprou bilhete e veio de propósito de Lisboa para ver o seu clube. O que é que achas?!)
A: "Claro que sim!" (Eu responderia como em cima entre parênteses, mas na primeira pessoa do singular. Ou então tal como está, à jogador da bola)

E pronto, lá ia o repórter à sua vida continuar com as perguntas sem sentido. Aparecer na tv para fazer isto. Mais valia perguntar às pessoas o que estavam a fazer por ali em tempo de crise (eu e a crise também já nos estamos a tornar muito previsíveis).

Vamos lá ao jogo.
Jogo esse que, a ver pelo resumo , mais parecia um jogo de rugby. Vi o resumo hoje na Sic Notícias - extraordinariamente longo e secante. Ah! mas isso foi o resumo. Precisamente! Se no resumo mostraram aquilo tudo, só posso presumir que o jogo foi mesmo como me pareceu.
Vi o lance do penalti. Por mais que me digam que calha a todos e que outros já festejaram vitórias com lances idênticos, o que eu digo é que se os jogadores do (meu) Benfica fossem jogadores a sério tinham dito ao Reyes para atirar ao lado. Era o que eu faria.
É vergonhoso (e desonroso) vencer dessa forma. E reforço que não é só o Benfica que ganha assim. Mas com a vergonha dos outros posso eu bem.

Ver a jornalista a seguir ao resumo dizer ao comentador desportivo - que falava nesse lance como algo sem sentido - que "parece ser unânime" a opinião relativamente a ter sido mal assinalado foi como ouvir dizer que a camisola do Benfica é vermelha (ou encarnada, como entenderem)... Por favor!

1 comentário:

Gingerbread Girl disse...

LOL =D


That was funny! =p


kiss*