Porque já nada me choca...

O que torna possivel um médico, acusado - com confissão do próprio ("arrependido e envergonhado") - de abusos sexuais a 2 crianças (9 e 13 anos), continuar a exercer a sua função?
Uma vez mais... A complacência nojenta e a ordinarice moral de certos indivíduos e - apesar de não entender - os estatutos existentes. Para além de um desfazamento total de tudo o que é decente...

Os detalhes sórdidos ficam para quem os quiser pesquisar, mas fica a sentença dada a semana passada por um tribunal dos Açores (efectivamente por um juiz - supostamente um ser humano...).
O médico foi (somente e incrivelmente) condenado a 4 anos de pena suspensa pois havia circunstâncias que apontavam para que "a sua actuação tenha sido um acidente de vida, permitindo concluir que a simples censura do facto e a ameaça de prisão realizam de forma adequada as finalidades da punição".
Permitam-me: FODA-SE!!
Mas isto é o quê? É como dizermos aos miudos que se se portam mal chamamos o senhor polícia??

Mas esta gente anda a brincar?

O tribunal faz também a referência a "não se ter apurado especiais sequelas dos crimes para os menores", decidindo ainda excluir da sentença, como pena acessória, a inibição da prática de medicina ou o seu exercício no SNS.
Sem comentários...

Sempre tive para mim que a Ordem dos Médicos tinha poder para impedir o exercício da profissão. Total ignorância minha.
Para tal é necessário a ordem de um juiz... Ou a mudança dos estatutos disciplinares do sector.

Seja o que for que necessite ser feito a verdade é só uma, estamos instalados num regime onde a vergonha vive encantada da vida.

Definitivamente já nada me choca.

Preocupem-se com o provedor de justiça e não se preocupem com a justiça em si que estão no bom caminho...

1 comentário:

Gingerbread Girl disse...

Aaaaaaaah!!

Se não houve sequelas, então tá bem!! =D


Aaaaah... assim, sim!


Good God... fucking unbelievable!